Até 2018, 51% do tráfego móvel mundial será 4G; no Brasil, índice será de 35%

Por Redação | 06.02.2014 às 07:35
photo_camera Kero Dicas

A Cisco divulgou nessa quarta-feira (05) uma pesquisa que indica o crescimento do 4G perante outras formas de conexão de dados em dispositivos móveis. Os estudos apontam que até o ano de 2018, 51% do tráfego móvel global será feito por meio do 4G. Aqui no Brasil, a porcentagem ficará em torno dos 35% para o mesmo período.

No ano passado, o 4G foi responsável por 30% da transferência de dados em dispositivos móveis em todo o planeta. No Brasil, durante o ano de 2013, apenas 2% do trafego foi correspondente ao uso do 4G.

Em relação ao total de conexões globais, até 2018 o 4G deve passar dos atuais 2,9% para 15%. Até lá, cada conexão deve passar a gerar cerca de 5,3 GB de dados mensalmente, média que hoje não passa dos 2,2 GB.

Se olharmos para a quantidade de conexões, em 2013 foram registradas 203,1 milhões de conexões 4G ao redor do mundo. Deste total, 104,3 milhões estavam na América do Norte. Nos próximos cinco anos, elas somarão, globalmente, 1,53 bilhão. Nessa data, os norte-americanos devem responder por nada menos que 372,5 milhões das conexões.

Além do aumento de tráfego, a Cisco prevê uma melhoria na velocidade da rede. A média global atual é de 1,7 Mbps e ela deve passar para 2,5 Mbps em 2018. A melhoria para os smartphones é ainda mais animadora: a média tende a passar dos atuais 4,86 Mbps para 7 Mbps.

Em terras brasileiras, a média das conexões móveis no último ano não passou dos 657 Kbps. Até 2018, a previsão é de que por aqui as conexões tenham as seguintes velocidades médias: 2G - 85 Kbps, 3G - 2,5 Mbps e 4G - 6,8 Mbps, esta última ficando pouco abaixo da média mundial.