Startup brasileira quer trazer aos ônibus a mesma comodidade e agilidade da Uber

Por Rafael Rodrigues da Silva | 30 de Maio de 2019 às 17h37

Quem já precisou andar de ônibus em qualquer grande cidade do Brasil sabe como é complicado a mobilidade urbana por aqui: a passagem é cara, os ônibus demoram uma vida para passar no ponto, muitas vezes estão lotados e não há como saber se o próximo vai demorar mais uma hora pra passar ou se em cinco minutos irá passar um vazio indo pro mesmo lugar. Mais do que qualidade dos ônibus em si, o transporte público das grandes cidade sofre de um grave problema organizacional - e é para tentar resolver esse problema que a startup Milênio Bus foi criada.

Gestão de mobilidade

Ainda que a solução mais pedida como forma de resolver o problema dos transportes públicos seja colocar mais ônibus para rodar, essa nem sempre é uma solução que realmente irá resolver os problemas. Isso acontece porque ainda não há, de fato, um monitoramento sobre o real número de passageiros que utilizam o transporte coletivo. Então, sem efetuar esse monitoramento, não é possível dizer exatamente se há mesmo poucos ônibus circulando, pois é possível que parte dos problemas seja resolvido apenas com uma melhor gestão dos recursos já existentes.

E há problemas incrivelmente básicos na gestão das atuais linhas de ônibus do Brasil. Um desses problemas é a distribuição de passageiros por veículo, que é horrível. Todo mundo que já andou de ônibus sabe que é bem comum esperar horas por um ônibus lotado e, enquanto está tentando achar um espacinho pra se encaixar ali, ver passando pelo ponto um outro ônibus completamente vazio que está indo pro mesmo lugar. Isso acontece porque não há um monitoramento em tempo real do número de passageiros de uma linha - o único cálculo existente é uma projeção estatística em cima dos números mostrados pela catraca, e que possui uma margem de erro de 60%. Assim, não só não é possível saber exatamente quantas pessoas utilizam a linha, como também ter o número exato de quanto as utilizam em horários de pico e de quantos nos momentos mais tranquilos ou durante os finais de semana.

Outro problema é a ausência de uma opção de pagamento completamente digital nesses ônibus. Os cartões de vale-transporte precisam ser carregados em guichês e cabines especiais, o que acaba provocando longas filas durante os horários de pico que muitas vezes fazem com que os usuários percam o ônibus que precisam pegar. E, nos veículos que ainda aceitam o pagamento em dinheiro, há sempre a insegurança de a qualquer momento ser vítima de assalto.

Um terceiro problema está na questão das rotas e, principalmente, na falta de comunicação da empresa com os usuários. Não há uma conversa as partes para tentar definir melhorias na rotas, e essas mudanças são tomadas apenas com base nas poucas informações existentes para as companhias de transporte público.

Milênio Bus

É para resolver esses dilemas que assolam o transporte coletivo das grandes cidades que a startup Milênio Bus foi criada.

A ideia da companhia para resolvê-los é simples: desenvolver um sistema de hardware que faz a contagem de passageiros que entram e que saem do veículo, permitindo saber em tempo real o quão lotado um ônibus está; desenvolver um software de otimização de frota, que pegariam os dados de quantidade de pessoas que existem dentro de cada ônibus e, considerando os diferentes momentos do dia e as diferenças entre os dias da semana e, com essa análise, checar a necessidade de novas rotas - que façam um melhor aproveitamento desses usuários de forma a evitar a superlotação dos carros - e atender a demanda dos passageiros conforme necessidade; e desenvolver também um aplicativo para celulares, que permitiria ao passageiro indicar o local para onde quer ir e o app então sugeriria quais linhas ele pode pegar para chegar ao local e como está a lotação desses ônibus. Além disso, esse programa também ofereceria a opção de pagamento digital por QR Code, introduzindo aos ônibus um sistema de cobrança inteiramente digital, acabando com a necessidade de um cartão físico para validar a corrida pela catraca.

Equipamento para contagem de passageiros em tempo real desenvolvido pela Milênio Bus (Imagem: Milênio Bus) 

Atualmente, a startup ainda está na fase de testes e homologação de seus produtos para comercialização, mas já existem dois ônibus operando com o sistema no país hoje - um em São Paulo, e outro em Porto Alegre. Esses veículos estão usando o equipamento desenvolvido pela própria Milênio Bus, que faz a contagem em tempo real da quantidade de passageiros dentro do ônibus e oferece outras informações importantes para as empresas de transporte. A Milênio Bus também está atualmente desenvolvendo para esse sistema um gerenciador da saúde do veículo, com o intuito de identificar se há alguma manutenção pendente ou necessária para a perfeita circulação dos veículos, contribuindo diretamente na economia de itens como óleo, fluido de freio e combustível, além de garantir uma viagem mais segura para os passageiros. 

Além do equipamento de contagem nos ônibus e o software para monitoramento de rotas, já está em desenvolvimento o aplicativo para o usuário final - incluindo o sistema para pagamento via QR code, que será implementado no protótipo.

Protótipo do software de análise de rotas que está sendo desenvolvido pela Milênio Bus (Imagem: Milênio Bus)

A Milênio Bus está ainda nos trâmites para homologar o equipamento (conseguindo assim a permissão para comercializá-lo), mas a startup acredita que o produto deverá chegar ao mercado já no segundo semestre de 2019. Enquanto isso, a Milênio Bus já tem feito sucesso no país, ganhando diversas competições de empreendedorismo e tendo chamado a atenção até mesmo de grandes empresas do setor de tecnologia, que já entrou em contato com a startup para utilizar os dados coletados por ela em aplicativos de mapa, permitindo assim que esses aplicativos mostrassem não apenas os ônibus que fazem uma rota específica como também a lotação deles.

 

Protótipo do aplicativo para passageiros de ônibus desenvolvido pela Milênio Bus (Imagem: Milênio Bus)

Por ser a primeira startup do Brasil a fornecer esse tipo de solução de monitoramento de contador de passageiros em tempo real, diversas outras empresas já estão em contato com a startup. Mas, por enquanto, o plano inicial é, assim que sair a homologação dos equipamentos, ampliar a oferta de ônibus das empresas parceiras hoje nos testes de aperfeiçoamento antes de expandir para todo o Brasil e demais países.

De acordo com Vinicius Sammarone, diretor comercial da Milênio Bus, a empresa está trabalhando para colaborar com um serviço de transporte público de melhor qualidade e com mais eficiência, nossa meta é que esse conceito a ser criado possa trazer ao passageiro que utiliza desses transportes a experiência de se ter uma viagem com mais conforto e informações privilegiadas de rotas e lotações de acordo com a necessidade de cada um, vale ressaltar também que estamos trabalhando em desenvolver a melhor maneira de reduzir a quantidade de assédios que vem se tornando bastante comum nos dias de hoje, com a possibilidade dos usuários comunicarem através do nosso aplicativo qualquer ocorrência nesse aspecto, podendo assim trazer maior segurança a todos os passageiros”

Não podemos dizer exatamente como será o transporte público do futuro, mas uma coisa é certa: andar de ônibus será uma tarefa bem menos complicada se depender da Milênio Bus.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.