Pilotos da Boeing mentiram à FAA sobre a segurança da aeronave 737 Max

Por Natalie Rosa | 19 de Outubro de 2019 às 15h45
Reprodução
Tudo sobre

Boeing

Saiba tudo sobre Boeing

Ver mais

Mensagens internas trocadas por dois funcionários da Boeing em 2016, obtidas com exclusividade pela Reuters, provam que a companhia enganou a FAA (Federal Aviation Administration), órgão de regulação aérea norte-americano, sobre a segurança do sistema de navegação da aeronave 737 Max.

De acordo com o conteúdo das mensagens, o piloto técnico-chefe, Mark Forkner, disse a outro que havia mentido à FAA sobre o processo de certificação do avião. "Eu basicamente menti aos reguladores (sem saber)", disse Forkner. O outro funcionário respondeu que "não era uma mentira, ninguém nos disse que esse era o caso", falando sobre o problema no sistema de navegação.

O modeo 737 Max, da Boeing

As informações podem esclarecer, em partes, o que causou dois acidentes com o 737 Max em apenas cinco meses, na Indonésia e Etiópia, e resultou em centenas de vítimas fatais.

A FAA afirmou já ter sido notificada sobre as mensagens, afirmando ainda que a Boeing estava com o conteúdo em mãos há alguns meses. O administrador do órgão de regulação, Steve Dickson, agora pede que Dennis Muilenburg, presidente-executivo da Boeing, conceda explicações pelo atraso na entrega destas provas.

As mensagens estão sendo revisadas para que a FAA decida quais medidas serão tomadas a partir de agora. Enquanto isso, a Boeing está em processo de correção da falha, mas ainda não há previsão de quando os 737 Max poderão voltar a voar.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.