Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Samsung tem recorde de receitas com vendas de celulares, componentes e mais

Por| Editado por Wallace Moté | 27 de Janeiro de 2022 às 09h04

Link copiado!

Unplash
Unplash
Tudo sobre Samsung

Novos relatórios divulgados pela Samsung mostram que o último trimestre de 2021 trouxe as maiores receitas da marca nos últimos quatro anos, durante o período analisado. Além da venda de celulares, estes números também foram resultados da comercialização de semicondutores e outros componentes para diversas marcas, como painéis OLED.

As receitas dos últimos três meses do ano passado alcançaram 76,57 trilhões de won (cerca de R$ 345 bilhões em conversão direta), enquanto o lucro operacional da empresa chegou a 13,87 trilhões de won (~R$ 62 bilhões). O lucro líquido — aquele que considera algumas outras despesas fixas além da operação — ficou em 10,8 trilhões de won (~R$ 48 bilhões).

Continua após a publicidade

A comparação com dados do ano anterior mostra que as receitas foram cerca de 24% mais altas nos últimos três meses do ano, mas o lucro operacional foi um pouco mais baixo em relação ao terceiro trimestre por conta de bônus salariais pagos para alguns funcionários.

Quando considerado o ano passado inteiro, a Samsung teve uma receita recorde de 279,6 trilhões de won (~R$ 1,26 trilhão), com um lucro operacional de 51,63 trilhões de won (~R$ 233 bilhões).

Receitas diversificadas

De acordo com o comunicado de imprensa divulgado pela Samsung, os números foram alcançados principalmente por conta das vendas de semicondutores, além de smartphones premium dobráveis e outros produtos de ecossistema. Eletrodomésticos e televisões também auxiliaram nos resultados, com aumentos durante o último período do ano passado.

A Samsung Display (subdivisão da marca para produção de telas) também registrou aumentos, em especial na comercialização de painéis OLED de dimensões menores. Por outro lado, a empresa teve resultados menos favoráveis nos setores que produzem componentes maiores, por conta da redução no preço de venda de produtos com a tecnologia LCD, além do acréscimo no valor de produção de displays QD-OLED — para o futuro, a companhia aposta no aumento dos lucros relacionados a telas OLED para dispositivos móveis, com os dobráveis em foco.

A marca também afirmou que pretende começar a produção em massa de semicondutores GAA de 3 nm, além de outros chipsets de alta performance para utilização em seus próprios produtos, ou venda para outras empresas. Enquanto isso, a Samsung Networks trabalhará na expansão de redes 4G e 5G pelo planeta.

Fonte: Samsung Newsroom