Royole apresenta Flexpai 2 e nova geração de tela dobrável "sem marcas"

Por Felipe Junqueira | 25 de Março de 2020 às 15h44
Reprodução/Royole

Talvez você não se lembre, mas a Royole é a empresa responsável pelo que é oficialmente o primeiro smartphone com tela dobrável do mundo. A companhia tem foco maior no desenvolvimento e produção de displays, mas viu a oportunidade de aumentar o alcance de seu nome ao lançar um dispositivo próprio no ano passado, o Flexpai, tão inovador quanto um telefone com tela que dobra.

O impacto, claro, foi bem grande. A empresa conseguiu ser mais rápida que a gigante Samsung, mesmo que não tenha vendido lá muitas unidades. Mas a meta é outra: atrair outras empresas para utilizarem suas telas. E nesta quarta-feira, 25, a Royole apresentou as novas gerações de sua tela flexível e do seu smartphone com display dobrável.

O Royole Flexpai 2 (Foto: Reprodução/Royole) 

O Flexpai 2 tem tudo o que um smartphone topo de linha em 2020 pode oferecer: plataforma Snapdragon 865 com suporte ao 5G, memória RAM LPDDR5 (quantidade não informada) e armazenamento UFS 3.0 (capacidade também não informada). A tela tem 7,8 polegadas com proporção 4:3 e pode ser aberta ou fechada.

Pouco foi revelado de fato sobre o smartphone, que deve ser lançado para o mercado consumidor ainda neste primeiro semestre de 2020.

Nova tela dobrável "sem marcas"

Nova tela da Royole não tem "sobras" (Imagem: Reprodução/Royole)

O grande destaque, no entanto, ficou para a nova geração da tela flexível da companhia. Chamada Cicada Wing de 3ª geração, ela será usada no Flexpai 2 e tem raio de dobra menor, além de melhorar brilho, contraste e ângulo de visão comparada à versão anterior. A Royole garante que o componente aguenta mais de 200.000 dobras sem mostrar nenhum desgaste.

Boa parte da apresentação foi para mostrar detalhes técnicos do novo display, que tem uma técnica de micro-nano materiais para conseguir recuperação mais ativa de marcas de dobras, além de uma camada com bolhas e rugas que o usuário pode sentir ao abrir a tela. É o mecanismo responsável por garantir o visual "sem marcas" do componente. Também foram feitas melhorias na qualidade da imagem, com promessa de gama de cores 1,3 vezes maior e contraste 500 vezes superior a telas LCD de última geração.

O painel ainda pode ser dobrado em qualquer direção e até mesmo enrolado.

Fonte: Royole

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.