Oppo acelera planos para fabricar chips após sanções dos EUA à Huawei

Por Rubens Eishima | 27 de Maio de 2020 às 11h40
Tudo sobre

Oppo

Saiba tudo sobre Oppo

Ver mais

Segunda maior fabricante de smartphones da China, a OPPO ampliou seus esforços para desenvolver internamente os chips usados em seus aparelhos. De acordo com o site japonês Nikkei Asian Review, a empresa teria contratado executivos de algumas de suas fornecedoras, como a taiwanesa MediaTek e a chinesa UniSOC, para dar vazão a esse projeto.

A revelação acontece em um momento em que a maior concorrente da Oppo, a conterrânea Huawei, se vê em uma difícil situação após o endurecimento das sanções comerciais impostas pelos Estados Unidos.

A Huawei foi proibida pelo governo de Donald Trump de comprar processadores de empresas norte-americanas, caso da Qualcomm, além de ter o acesso bloqueado aos aplicativos do Google.

A medida da Oppo teria como objetivo reduzir a dependência de empresas norte-americanas, e aumentar a pressão sobre a Huawei. Entre os executivos contratados estão Jeffery Ju, ex-COO da MediaTek, com passagem pela Xiaomi.

Assim como a concorrente Xiaomi, a Oppo utiliza em seus aparelhos processadores da norte-americana Qualcomm e da taiwanesa MediaTek. A formação de uma equipe interna para desenvolvimento de chips reduziria a vulnerabilidade da empresa com relação a medidas externas, como as que têm afetado a Huawei, além de permitir a inclusão de recursos para se diferenciar da concorrência.

A nova divisão da empresa teria como concorrente direta a HiSilicon, subsidiária da Huawei que recentemente teve o seu acesso a chips fabricados pela taiwanesa TSMC bloqueado pelo governo dos EUA.

Fonte: Nikkei Asian Review

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.