iPhone 13: teste revela que Apple foi modesta ao comparar A15 com rivais Android

iPhone 13: teste revela que Apple foi modesta ao comparar A15 com rivais Android

Por Eduardo Moncken | Editado por Wallace Moté | 05 de Outubro de 2021 às 11h25
Apple

A Apple mudou um pouco suas próprias regras ao anunciar o iPhone 13. Isso porque em vez de comparar o novo chip A15 Bionic com o antecessor, A14 Bionic, optou por destacar quão melhor ele é frente a concorrência.

Isso gerou dúvidas sobre o salto de desempenho em relação ao SoC anterior, e ficou comprovado que os ganhos foram mínimos, pois nessa geração a empresa parece ter apostado mais em versatilidade. Porém, testes independentes estão mostrando que a Maçã ainda é dona do chip mais veloz do mercado de celulares — com ampla vantagem.

(Imagem: Divulgação/Apple)

Em seu evento a Apple defendeu que o A15 Bionic alcançava 50% mais performance que rivais Android poderosos, mas o portal Anandtech mostrou que o abismo é um pouco maior. O processador se saiu 62% melhor que o Snapdragon 888 em testes de performance.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Segundo o portal, os resultados são alcançados graças a uma ótima performance dos quatro núcleos de eficiência — responsáveis por equilibrar o uso com gasto de bateria — apoiados em outros dois responsáveis por tarefas de grande estresse. Assim, o A15 Bionic se sai melhor que a plataforma da Qualcomm, que utiliza uma estrutura de um núcleo de altíssimo desempenho, três de equilíbrio, e quatro de conservação energética.

Assim sendo, a Apple promoveu poucas mudanças de performance em 2021, mas parece ter ficado confiante de que isso não comprometeria a sua liderança nesse quesito. Como anunciado no evento de setembro, os iPhones 13 ganharam no mínimo 1h30 a mais de autonomia, o que também é fruto de melhorias no SoC dos celulares — ao lado de baterias ligeiramente maiores.

Maior chance de throttling

Um problema verificado é que o novo design interno de componentes prejudica a dissipação de calor do chip em tarefas de GPU. Os modelos anteriores contaram com um projeto melhor neste sentido. Mas ainda segundo o portal, mesmo eventualmente lidando com throttling — redução de desempenho causada por altas temperaturas — o A15 Bionic consegue entregar mais poder de processamento que os concorrentes.

(Imagem: Reprodução/Apple)

Os números são mesmo de 30% (quatro núcleos de GPU) a 50% (cinco núcleos de GPU) melhores que rivais Android quando o celular parte de um estado ocioso para o teste intenso. Em atividades constantes, o que gera o aquecimento interno, a performance ainda é sustentadamente superior aos modelos rivais entre 10% e 30%.

Vale lembrar, os novos iPhones 13 podem chegar ao Brasil muito em breve. Os preços já foram divulgados, e um modelo que deve se beneficiar das melhorias do chip é o iPhone 13 mini, que na geração anterior foi criticado pela duração de sua bateria.

Em 2022, a Apple poderá descontinuar o modelo mais compacto e oferecer um iPhone 14 Max. Ele poderá ser um modelo focado em quem quer tela grande e não quer pagar preço de iPhone Pro. O corpo maior deverá permitir uma bateria igualmente melhor, aumentando a autonomia dos iPhones mais “básicos”.

Fonte: Anandtech, Phone Arena

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.