iPhone 12 não representa risco grave a usuários de marcapassos, diz FDA

iPhone 12 não representa risco grave a usuários de marcapassos, diz FDA

Por Felipe Junqueira | Editado por Wallace Moté | 17 de Maio de 2021 às 17h45
Studio Proper/Unsplash

Um estudo realizado no início deste ano sugeria que a tecnologia MagSafe, embarcada no iPhone 12, poderia desativar marcapassos, o que levaria risco a pessoas que dependem deste dispositivo para monitorar a saúde. Após uma análise mais cuidadosa, a FDA, agência americana com atuação semelhante à ANVISA, diz que o risco existe, mas é pequeno.

Segundo os testes do órgão dos Estados Unidos, alguns celulares, relógios inteligentes e outros eletrônicos modernos com tecnologias magnéticas podem realmente afetar marcapassos e outros dispositivos médicos implantados. Porém, o risco ao paciente é baixo, e a agência disse não estar “ciente de nenhum outro evento adverso associado com esse problema neste momento”.

A questão surgiu quando um estudo presenciou um marcapasso da Mediatronic ser desativado com a aproximação de um iPhone 12. Segundo a Apple, seu celular “possui ímãs, bem como rádios e componentes que emitem campos eletromagnéticos” que “podem interferir em dispositivos médicos, como marcapassos e desfibriladores”.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Mas a empresa alertou que “mesmo que todos os modelos do iPhone 12 possuam mais ímãs do que os modelos anteriores, não se espera que eles apresentem um risco maior de interferência magnética em dispositivos médicos do que os modelos anteriores do iPhone”. A FDA constatou que, de fato, não há risco grave para os pacientes.

Recomendações

Apesar de não considerar que o uso de um iPhone 12 possa levar riscos a pessoas com dispositivos médicos implantados, a FDA listou algumas precauções a serem tomadas:

  • Manter dispositivos eletrônicos como celulares e smartwatches pelo menos 15 centímetros de dispositivos médicos implantados;
  • Evitar carregar produtos eletrônicos no bolso próximo ao dispositivo médico;
  • Falar com um médico sobre os possíveis riscos de ímãs em produtos eletrônicos de consumo e dispositivos médicos implantados.

As recomendações da FDA não são muito diferentes das precauções indicadas pela própria Apple, que ainda recomenda manter uma distância de até 30 centímetros do acessório MagSafe enquanto um iPhone estiver sendo carregado.

Fonte: FDA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.