Honor precisa desenvolver produtos que rivalizem ou superem a Apple, afirma CEO

Honor precisa desenvolver produtos que rivalizem ou superem a Apple, afirma CEO

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 18 de Junho de 2021 às 17h40
Reprodução/Honor

A Honor iniciou oficialmente sua jornada como fabricante independente de smartphones nesta semana, com a chegada da família Honor 50, cerca de sete meses após se separar da Huawei. Apesar de ainda trazer similaridades com modelos da antiga companhia-mãe, os aparelhos lançados na última quarta (16) já contam com vantagens resultantes da independência, como acesso a soluções de Google e Qualcomm.

A empresa também vem ganhando confiança aos poucos, já tendo confirmado que não utilizará celebridades para promover a marca, além de ter revelado os planos ambiciosos de assumir o posto vago deixado pela Huawei no mercado global. Junto ao evento de anúncio do Honor 50, o CEO da fabricante Zhao Ming revelou em entrevista mais algumas expectativas da organização para os próximos anos.

Honor deve competir com a Apple no futuro

Segundo informações do site ITHome, Zhao Ming comentou a queda da Huawei no mercado de smartphones e as consequências da situação. O executivo teria afirmado que, com o espaço vago deixado pela antiga companhia-mãe da Honor, outras gigantes assumiriam essa fatia do mercado, em especial a Apple, que já mostra crescimento diante do fato.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O CEO da Honor, Zhao Ming, acredita que a Apple se tornará uma grande rival da fabricante chinesa em breve (Imagem: Divulgação/Honor)

Isso levaria a Honor a eventualmente concorrer com a companhia liderada por Tim Cook, o que exigiria esforços da chinesa. Ming sugere que os produtos da Honor têm a missão de se igualar ou mesmo superar os da Apple, e indica que a experiência de uso é um dos pontos cruciais para dispositivos que competem no segmento de celulares high-end.

"Ainda que os flagships de muitos amigos sejam equipados com o Snapdragon 888, a experiência [de uso] é uma bagunça, então é impossível realizar um bom trabalho no mercado high-end", teria afirmado o CEO.

Honor Magic representará "tecnologia extrema"

Ainda de acordo com o portal, Zhao Ming teria afirmado que a Honor pretende trabalhar com quatro linhas principais: a Magic, focada em topos de linha, que representará "tecnologia extrema"; a numerada, da qual o Honor 50 faz parte, que será voltada para o segmento intermediário; bem como a X e a Play, que serão destinadas ao mercado de entrada, com a Play também se tornando uma exclusividade das vendas online.

A chinesa se focará em quatro linhas principais: a premium Magic, a intermediária numerada, e a x e Play, voltadas para o segmento de entrada (Imagem: Reprodução/Honor)

A próxima estreia da companhia será justamente o primeiro topo de linha independente, o Honor Magic. O aparelho já teve o uso do Snapdragon 888 confirmado, e também deve embarcar os serviços do Google. As declarações do CEO deixam claro que a Honor focará em oferecer uma experiência de uso robusta, tendo a Apple como uma das referências.

O Honor Magic está previsto para chegar no terceiro trimestre de 2021, entre os meses de julho e setembro. Segundo os rumores, o telefone pode chegar em agosto, e há chances de se tratar de um novo integrante do segmento de dobráveis.

Fonte: Gizchina, Gizmochina, ITHome (1, 2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.