Chips Dimensity 5G da MediaTek devem equipar próximos celulares da Huawei

Por Diego Sousa | 03 de Novembro de 2020 às 14h45
Alex Escu/Unsplash

Novas informações sugerem que a Huawei passará a utilizar os chipsets da linha Dimensity 5G em seus próximos smartphones intermediários e premium. De acordo com o site chinês IT Home, a chinesa teria conseguido fechar um negócio gigantesco com a MediaTek para a compra de chips antes do dia 15 de setembro, prazo estipulado pelo governo Trump para que as fabricantes interrompessem o fornecimento de peças e tecnologias de origem norte-americana à companhia chinesa.

A reportagem indica ainda que os pedidos da Huawei foram um fator bastante positivo para a receita da MediaTek durante o terceiro trimestre deste ano, que viu um aumento de 44,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, nos últimos meses a fabricante taiwanesa conseguiu diminuir ainda mais a distância contra a Qualcomm no mercado de processadores, fechando o 2º trimestre com 26% de market share, contra 29% da rival.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Parceria estendida

A Huawei já utiliza os chipsets da MediaTek em seus smartphones intermediários e básicos, mas a expectativa é que os modelos premium também passem a usar as soluções 5G da MediaTek no futuro, como alternativa aos processadores proprietários da empresa que deixariam de ser produzidos por falta de componentes.

Rumores sobre essa suposta encomenda de chips circulam na internet desde julho deste ano, mas ganham força desde quando a MediaTek pediu autorização especial aos Estados Unidos para voltar a fornecer as peças à Huawei, no final de agosto. No entanto, é importante mencionar que a norte-americana Qualcomm também teria pedido uma licença especial ao governo Trump para negociar com a empresa chinesa.

Ainda é incerto dizer qual das duas fabricantes ficará responsável pelo fornecimento de chips à Huawei, mas os próximos capítulos dessa história devem ser cruciais para a empresa, ainda mais considerando que os Estados Unidos já estudam a possibilidade de liberar a venda de componentes feitos com softwares ou equipamentos norte-americanos.

Fonte: IT Home  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.