Apple pode lançar na China iPhone baratinho com Touch ID sob a tela

Por Felipe Demartini | 02 de Julho de 2019 às 12h13
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

No episódio de hoje da sequência de rumores bizarros envolvendo a Apple, fontes apontam para o lançamento de uma versão do iPhone exclusiva para a China, marcando o retorno do Touch ID em uma edição com sensor sob a tela. O dispositivo chegaria no final deste ano, junto com a nova geração de smartphones da Maçã, mas seria voltado especificamente para o mercado chinês, com valor ainda mais baixo que o atual iPhone XR.

Seria, de acordo com as fontes, uma forma de garantir mais um incremento nas vendas do produto no país. O iPhone é popular na China, mas ainda sofre com a concorrência de marcas locais que fabricam flagships com um custo-benefício muito mais atraente. Para garantir um pequeno pé de igualdade, a Apple estaria disposta a abrir mão de um dos recursos mais celebrados de sua história recente, o Face ID, em prol do antigo sensor de impressões digitais.

O modelo teria tela OLED e notch menor do que nas versões atuais do iPhone devido à ausência dos sensores e outros aparatos necessários para utilização do Face ID. O leitor de impressões digitais ficaria na parte inferior da tela, para emular o velho botão físico que trazia o recurso em um passado nem tão distante,

Os rumores podem parecer esquisitos, mas ganham força por se encaixarem com outros. Um deles seria o distanciamento da Apple dos displays LCD, como o encontrado hoje no iPhone XR, o que dá certo sentido ao corte de outros atributos do aparelho em prol de uma tela OLED. Além disso, outro boato é de que a Maçã estaria trabalhando na redução das bordas laterais do smartphone, outro elemento que receberia atenção não apenas nesta versão mais barata, mas em todas as outras que chegariam ao mercado neste ano.

O iPhone XR é, atualmente, o modelo mais barato da Apple, mas traz sistema de reconhecimento facial como seus irmãos mais poderosos, algo que pode acabar se os rumores foram reais (Imagem: Divulgação/Apple)

Há de se levar em conta, ainda, a guerra comercial entre Estados Unidos e China, que levou a uma redução nas vendas do iPhone no país por conta do aumento de impostos. Isso fez com que o aparelho ultrapassasse a marca dos US$ 750 para modelos premium na China, aumentando ainda mais a preferência dos consumidores locais por outras marcas. O tempo urge e, para a Apple, isso não é algo visto com bons olhos, e que pode levá-la a abrir mão de recursos e inovações já aplicadas no restante do mundo.

Por outro lado, depõe fortemente sobre essa possibilidade o próprio lançamento de um modelo exclusivo. A Apple sempre se posicionou fortemente contra a fragmentação do ecossistema de seu principal rival, o Android, e chegou a enaltecer diversas vezes o fato de seus produtos funcionarem da mesma maneira e estarem parelhos em praticamente todas as regiões do mundo. Com a chegada de um modelo específico dessa categoria, tal mecânica se alteraria drasticamente, em mais uma mudança profunda de postura por parte da Maçã.

Não dá para saber ao certo, entretanto, até que ponto os boatos têm validade, já que a Apple jamais se pronuncia sobre esse tipo de tema. Resta esperar para saber, já que um evento de revelação dos novos iPhones deve acontecer nos próximos meses, mas, mesmo nele, pode ser que uma suposta geração de aparelhos exclusiva para a China não dê as caras, já que se trata de uma transmissão realizada com foco no mercado global.

Fonte: The Global Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.