Apple agora vai consertar iPhones com baterias de terceiros

Por Felipe Demartini | 06 de Março de 2019 às 12h41
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

A Apple está voltando a aceitar, para conserto, iPhones que tiveram suas baterias trocadas por modelos não-oficiais. A mudança de política não foi confirmada oficialmente pela empresa, mas relatos de clientes e também de sites especializados apontam que as assistências técnicas oficiais da marca e as unidades do Genius Bar voltaram a receber modelos nessas condições para reparos relacionados ou não ao componente substituído.

Os funcionários de assistência teriam sido instruídos a aceitarem aparelhos com baterias alternativas caso o problema esteja relacionado a ela, realizando a substituição por uma peça original com a cobrança dos valores usuais. Caso a questão esteja relacionada a outro aspecto, como a tela, sensores, câmeras e demais componentes, os especialistas são instruídos a ignorarem a presença da célula não-oficial.

Em todos esses casos, é claro, a garantia de compra deixa de valer caso o usuário ainda esteja coberto por ela. Além disso, apenas aparelhos com baterias não-oficiais estão sendo aceitos nos centros de reparo, com outros consertos não-autorizados em placas, sensores, entradas, botões e câmeras resultando na negativa ao usuário que busca por assistência técnica da própria fabricante.

A mudança de política também acompanharia algumas recomendações de segurança aos técnicos na manipulação das baterias não-oficiais, como a necessidade de descarregá-las até menos de 60% da carga antes da remoção, além de orientações para descarte adequado. A empresa, entretanto, não se pronunciou sobre a mudança nas políticas, que valeria para todos os centros de reparo espalhados pelo mundo desde a última semana.

Não é a primeira vez que a Apple altera regras internas para aceitar produtos com reparos não-autorizados. Em 2017, ela também revogou sua recusa em relação a iPhones com telas manipuladas por assistências não-autorizadas, desde que o reparo solicitado nas unidades oficiais não estivesse relacionado ao display em si. Essa política continua valendo e, agora, se une a das baterias.

Fonte: MacRumours

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.