Quase 95% dos universitários possuem smartphones, aponta estudo

Por Redação | 07 de Outubro de 2014 às 10h03
photo_camera Divulgação

A rede Passei Direto, que reúne mais de 2 milhões de estudantes universitários de forma colaborativa, realizou um estudo para entender os hábitos dos estudantes quando o assunto é smartphone.

Para a realização da pesquisa, foram ouvidos 2.143 estudantes universitários de todas as regiões do país, entre julho e agosto deste ano.

O estudo mostrou que 94,5% dos estudantes possuem acesso à internet diretamente do celular e apenas 5,2% deles não possuem smartphones. Uma grande parcela dos ouvidos pela pesquisa (68%) utiliza sistema Android, seguido pelo iOS com 17%. Entre os hábitos destes jovens, 64% preferem acessar aplicativos pelo smartphone e 24,5% deles acessam sites pelo aparelho móvel.

O estudo ainda mostrou que os jovens não se separam de seus aparelhos mesmo ao realizar as tarefas do dia a dia. 75% afirmaram usar o smartphone antes de dormir; no tempo ocioso na faculdade, 69,5% recorrem ao gadget; na hora de se locomover, 62,8% estão conectados e 62,5% usam o aparelho logo que acordam. Além disso, 29,5% dos entrevistados afirmaram usar o smartphone no banheiro.

A internet e o smartphone também são recursos mais usados pelos universitários na hora de estudar. 87% deles afirmam usar a internet para realizar as pesquisas, enquanto 61,5% não fazem anotações das matérias em sala de aula. Entre eles, 22% estudam em grupo e 13% utilizam o WhatsApp para trocar informações sobre estudo. Os smartphones também são usados por 58% dos estudantes antes de iniciarem uma prova.

Outra tendência apresentada pela pesquisa é a preferência dos estudantes quanto ao armazenamento de seus dados. Uma parte expressiva (50%) afirma que utiliza o aplicativo Dropbox para guardar seus arquivos, mas o computador ainda ganha com 98% da frequência. 85% optam por armazenar o material escolar digital em pen drives, 82% utilizam o smartphone, enquanto apenas 15% ainda utilizam CDs e 5% aderiram ao Facebook.

Entre os estudantes questionados para realização da pesquisa, 57,8% eram mulheres e 42,2% homens, sendo eles distribuídos entre as áreas de humanas, exatas e biológicas. Entre os entrevistados, 50,5% tinham entre 18 e 21 anos de idade.

Para Rodrigo Salvador, gestor e criador da Rede, ainda faltam dados sobre o uso do smartphone entre os jovens e essa carência de informações motivou a pesquisa. “Decidimos fazer a pesquisa porque é um assunto bastante atual e relevante, devido à importância que os celulares ganharam na vida das pessoas, por sua versatilidade como veículo de informação e interação coletiva”, afirmou.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.