Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

The Crown | O que é verdade e o que foi aumentado na terceira temporada

Por| 26 de Novembro de 2019 às 11h50

Link copiado!

Divulgação: Netflix
Divulgação: Netflix

Mais uma temporada de The Crown chegou à Netflix, trazendo mais histórias sobre a Rainha Elizabeth II e sua família. Nestes novos episódios, a líder do trono britânico deixou de ser interpretada por Claire Foy para dar lugar à Olivia Colman, entre outros novos atores.

A série dá ao espectador uma aula sobre os momentos mais importantes dos últimos 67 anos da monarquia britânica, o tempo em que Elizabeth II está no poder como sucessora de seu pai, o Rei George VI. The Crown desperta a curiosidade de quem está assistindo de conhecer a vida pessoal da realeza, os escândalos políticos e momentos que ficaram marcados na história.

Leia também: Crítica | The Crown continua brilhante na 3ª temporada mesmo com troca de elenco

Essa curiosidade é tanta que faz o espectador procurar essas informações no Google. Segundo dados da Wikimedia, por exemplo, o número de buscas por termos como "Peter Townsend", "Elizabeth II" e Prince Philip" atingiu picos gigantescos na época de lançamento das duas primeiras temporadas.

Continua após a publicidade

Se você é uma dessas pessoas que ficam extremamente curiosas em relação aos acontecimentos de The Crown e agora está se perguntando o quanto da terceira temporada aconteceu de verdade ou não, fizemos esse trabalho para você! Confira abaixo quais acontecimentos retratados na temporada 3 de The Crown foram reais ou não.

Atenção: A partir daqui, você vai ver spoilers da terceira temporada de The Crown.

Princesa Margaret: a queridinha da América

Em seus momentos como a pessoa mais adorada dos Estados Unidos, vemos a Princesa Margaret, interpretada por Helena Bonham Carter, vivendo a vida que sempre quis nos Estados Unidos no episódio 2, chamado Margaretology. E isso realmente aconteceu, mas não foi bem assim.

A princesa visitou, de fato, o presidente Lyndon Johnson e a primeira-dama Lady Bird em 1965, ao lado do seu então marido Antony Charles Robert Armstrong-Jones, também conhecido como Lord Snowdon. No entanto, nada disso foi tão glamouroso como o que foi mostrado em The Crown.

Margaret foi bastante cutucada pela imprensa norte-americana. Segundo Craig Brown, biógrafo da Família Real, as interações da princesa com as celebridades do país não foram muito legais e que "depois de uma sucessão de bebidas, sua grosseria não tinha limites".

E o affair de Margaret com Roddy Llewellyn?

Continua após a publicidade

A princesa foi sim flagrada com o plebeu Roddy enquanto ambos se divertiam em Mustique, uma ilha privada no Caribe. O relacionamento com o rapaz, como é mostrado na série, aconteceu quando o seu casamento já estava praticamente destruído, e o próprio marido de Margaret também viveu um affair, mas somente o da princesa virou um escândalo.

Na vida real, no funeral de Margaret, Elizabeth II agradeceu Roddy por ter provido à princesa os momentos de alegria que ela tanto precisava.

Príncipe Charles conheceu Camilla Shand graças ao polo?

Continua após a publicidade

Sim, o Príncipe Charles, na época com 22 anos, conheceu Camilla Shand, que se tornaria a futura Duquesa de Cornwall, em uma partida de polo em 1970. Aos 24 anos, ela estava em um relacionamento tumultuado com Andrew Parker Bowles, fazendo com que a relação entre Camilla e o príncipe não evoluísse.

Os dois, no entanto, voltaram a se relacionar após o divórcio entre Charles e a Princesa Diana, se casando em 2005. O casal segue junto até hoje.

E Charles foi enviado à marinha para que o relacionamento não desse certo?

O Príncipe Charles foi sim enviado à marinha, ficando distante da amada Camilla Shand. Na série, vemos que mandar o rapaz para longe teria sido uma armação da família, mas ao contrário do que a trama mostra, não há evidências de que Elizabeth teria feito parte dessa conspiração.

Continua após a publicidade

Como Charles ficou longe, Camilla acabou casando com Andrew. Pelo menos já sabemos que a história teve um final feliz para os dois.

O desastre de Aberfan e o sentimento de Elizabeth

O terceiro episódio de The Crown é todo dedicado ao desastre de Aberfan, que aconteceu em outubro de 1966. No incidente, um monte de carvão desabou da montanha devido a uma forte chuva, atingindo uma pequena vila no País de Gales. Mais de 144 pessoas morreram, 116 delas crianças alunas da escola Pantglas Junior School.

Continua após a publicidade

A Rainha Elizabeth foi criticada pela sua demora em visitar o local e trazer algum conforto para a família das vítimas, e isso realmente aconteceu. Inicialmente, quem visitou a cidade foi o Príncipe Philip, com Elizabeth dizendo que se ela fosse até lá, seria uma distração nas operações de resgate.

Vemos na série, então, a rainha lutando contra suas emoções, quando finalmente ela decide fazer a visita.

A Rainha Elizabeth permitiu que um infiltrado continuasse trabalhando no Palácio de Buckingham?

Continua após a publicidade

Com a chegada de um novo Primeiro Ministro, Harold Wilson, líder do Partido dos Trabalhadores, rumores chegaram à Rainha Elizabeth de que ele era um espião para os soviéticos. Tanto no programa, quanto na realidade, esses boatos nunca chegaram a ser confirmados.

No entanto, havia sim um espião dentro do Palácio de Buckingham: o historiador Anthony Blunt, curador de arte do palácio. Mesmo depois de revelada a traição, Elizabeth permitiu que ele continuasse trabalhando.

Princesa Alice, mãe do Príncipe Philip, morou no Palácio de Buckingham?

Sim, a Princesa Alice viveu no Palácio de Buckingham, como mostra a série, em 1967. Porém, a sua estadia por lá foi um pouco diferente do que é retratado na trama. Ela ficou em um quarto no primeiro andar bastante espaçoso e não em um local pequeno em um anexo do palácio.

Continua após a publicidade

Vemos também em The Crown que Alice e o Príncipe Philip tinham uma relação conturbada e ele não queria a mãe por lá. No entanto, na vida real, o filho queria ter ela por perto, e isso só foi possível após um convite oficial de Elizabeth.

E o documentário sobre a realeza, aconteceu?

Um acontecimento bem importante da temporada é quando a Família Real recebe a equipe da BBC por dias para a filmagem de um documentário. A ideia veio do Príncipe Philip, com o objetivo de melhorar a imagem da realeza britânica. Infelizmente, a repercussão foi praticamente levando tudo como uma piada, assim como The Crown mostra. Basicamente um Keeping Up With The Kardashians da Europa.

A reprodução do documentário aconteceu apenas uma vez no ano de 1969, e só passou de novo em 1977. Foram 36 milhões de espectadores na primeira vez, que conferiram imagens capturadas ao longo de 18 meses. O documentário não está disponível online, mas alguns trechos podem ser conferidos no YouTube, além de imagens.

Continua após a publicidade

O documentário está banido de ser transmitido, sendo liberado apenas para historiadores, com permissão do Palácio de Buckingham e com muita burocracia.

A Rainha Elizabeth foi visitar Winston Churchill antes de sua morte?

Em The Crown, quando Elizabeth ficou sabendo que Winston Churchill, que havia sido o seu primeiro-ministro, estava em seus dias finais, a rainha aparece para visitá-lo e dizer adeus, dando um beijo em sua cabeça.

Continua após a publicidade

Na verdade, não há relatos de que isso aconteceu, não passando então de uma boa licença dramática. Os produtores quiseram, na verdade, representar de alguma forma o agradecimento da rainha por toda a ajuda fornecida por Churchill em seus anos iniciais no cargo. Isso não significa, no entanto, que Elizabeth nunca tenha agradecido ao político por isso.

A rainha enviou uma carta à esposa de Churchill, Clementine, lamentando o acontecimento.

Príncipe Philip duvidou de sua fé?

No ano de 1969, O Príncipe Philip ficou fascinado com a viagem do Homem à Lua e, em meio a uma crise de meia-idade, ele começou a questionar seus propósitos de vida e a sua fé.

Continua após a publicidade

Em The Crown vemos que o príncipe questiona a igreja e só volta a focar em seus princípios cristãos após ter a oportunidade de conhecer os homens que foram à Lua (Neil Amstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin) e perceber que eles também são meros seres humanos. O que ele esperava era a revelação de algum segredo existencial e o que conseguiu foi apenas frustrações. No fim, a fé de Philip foi restaurada em outro contexto, antes mesmo de acontecer o pouso na Lua.

Todas as três temporadas de The Crown estão disponíveis na Netflix.