Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Critica For All Mankind | Temporada 4 voa alto, mas não emplaca novos rostos

Por| Editado por Durval Ramos | 16 de Janeiro de 2024 às 20h00

Link copiado!

Divulgação/Apple TV+
Divulgação/Apple TV+

A quarta temporada de For All Mankind, série de ficção científica do Apple TV+ escrita por Ronald D. Moore, Matt Wolpert e Ben Nedivi, teve seu último episódio liberado nesta sexta-feira (12). Ao longo de dez capítulos, a nova season se dedicou a explorar os problemas dos trabalhadores em Marte, ao mesmo tempo em que trouxe novas camadas aos conflitos políticos da Terra.

Protagonizada por Joel Kinnaman (que agora dá vida a um Ed Baldwin já na casa dos setenta anos), a série provou que continua a acertar em boas histórias, conseguindo desenvolver uma trama grandiosa, que imagina os desdobramentos dessa linha alternativa em que a corrida espacial nunca acabou.

Continua após a publicidade

Por outro lado, o show continua a enfrentar problemas com seus novos personagens, que assim como aconteceu com Danny Stevens (Casey W. Johnson) na terceira temporada, não caem nas graças do público, tornando a presença do elenco original ainda vital para seu bom funcionamento.

Os conflitos de classe chegam à Marte

Nesta quarta season, For All Mankind pulou oito anos no futuro, mais precisamente para 2003, quando a base Happy Valley está finalmente estabelecida e abriga nada menos do que uma colônia internacional que representa sete países.

Nesse local, Ed Baldwin continua a trabalhar como astronauta, embora tenha cada vez mais dificuldade em lidar com sua idade avançada (marcada por uma maquiagem e peruca sofríveis) e a iminência de uma aposentadoria forçada.

A grande estrutura da colônia, no entanto, mascara uma série de problemas, que atinge seu ápice quando uma tragédia atrasa o programa de mineração de asteroides, levando a NASA a convocar sua antiga e exemplar funcionária Danielle Poole (Krys Marshall) para voltar ao comando do local.

É assim que Dani reencontra Ed, seu antigo amigo e colega de profissão, e que uma nova leva de funcionários chega à colônia, se deparando com uma realidade muito diferente do que imaginavam. Trabalhadores braçais, eles vivem em condições completamente diferentes as dos astronautas, o que a longo prazo leva a sindicalização e a explosão de uma greve.

Enquanto isso, na Terra, em um dos conflitos “fora do espaço” mais interessantes que o show já apresentou, Margo leva uma vida de refugiada na URSS. Escondida e saudosa de seus dias como controladora de voo, ela tem sua identidade descoberta e é obrigada por Irina (Svetlana Efremova), a diretora da Roscosmos, a trabalhar para a agência espacial soviética.

Continua após a publicidade

Entre velhos e novos personagens

Enquanto cria conflitos no céu e na Terra, a quarta temporada de For All Mankind desenvolve uma história completamente envolvente, que mais uma vez funciona como um presente para qualquer fã de ficção científica.

Continua após a publicidade

Embora tenha menos cenas de ação do que nas seasons anteriores, preferindo focar nos desdobramentos humanos da colonização em Marte, isso em nada afeta o bom desenvolvimento do show, que aposta em um arco central emocionante, em que vários personagens planejam “roubar” um asteroide.

Os novos rostos apresentados neste ano, no entanto, continuam a ter dificuldade em emplacar. Embora ninguém seja tão detestável quando Danny, o primogênito de Gordo (Michael Dorman), Miles Dale (Toby Kebbell), que deveria ser a co-estrela da temporada, não tem carisma, e Samantha (Tyner Rushing), que poderia ganhar a simpatia do telespectador, é muito pouco desenvolvida.

Assim, os destaques continuam ainda com alguns velhos conhecidos do público, como é o caso de Wrenn Schmidt, que como Margo Madison tem um dos arcos mais bem trabalhados da temporada, e Krys Marshall, que sempre arrasa no papel de Danielle Poole – especialmente quando precisa colocar Ed na linha.

Continua após a publicidade

Caso seja renovada, For All Makind precisa encontrar com urgência personagens interessantes para sua história. Adiantada para 2012, o que torna praticamente impossível que Ed ainda seja um astronauta, ela precisa de novas estrelas – tão brilhantes quanto aquelas do espaço.

Com dez epsiódios, a quarta temporada de For All Mankind está disponível completa no Apple TV+