Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Usuários do Android são as mais novas vítimas de golpe de extorsão sexual

Por| 29 de Abril de 2020 às 08h45

Link copiado!

Shutterstock
Shutterstock

Um método antigo de golpe está ganhando nova cara nos Estados Unidos. Trata-se da estratégia de sextortion, em que o criminoso diz ter fotos ou vídeos íntimos da vítima e pede dinheiro para não expô-la.

Neste novo golpe há algumas mudanças, mas a proposta é a mesma. Pelo Android, a vítima recebe uma mensagem ou e-mail como se fosse do FBI, sob acusação de consumo de pornografia ilegal.

A mensagem, supostamente do Departamento de Justiça, informa que o aparelho da vítima foi analisado, revelando visitas em sites de “pornografia proibida”. Desta forma, o aparelho é bloqueado. “Informações sobre a sua localização e fotos com o seu rosto foram enviadas ao banco de dados do Departamento de Cibercrime”, informa o golpista.

Leia mais: Novo golpe ameaça vazar vídeos íntimos do usuário; saiba o que fazer

Continua após a publicidade

Por conta disso, segue o texto, é preciso pagar uma multa de US$ 500 em até três dias para não ser preso. Claro que isso é tudo mentira, mas, com medo, a vítima pode efetuar o pagamento e cair na armação.

A ação deriva de um app chamado Black Rose Lucy, já conhecido pelos pesquisadores. Segundo analistas do Check Point, o Lucy é ransomware capaz de sequestrar seus dados para depois pedir um "resgate" para liberá-los. A praga virtual é conhecida e monitorada desde 2018, mas esta é a primeira vez que aparece em um app para plataformas mobile.

No caso, o Lucy restringe o acesso do usuário a suas próprias fotos e arquivos, o que ajuda a convencer a vítima de que foi analisada pelo FBI. Desta forma, para reaver seus arquivos, a pessoa precisa pagar o golpista.

Histórias como esta ajudam a reforçar medidas de segurança em plataformas mobile. A principal delas é de não baixar aplicativos fora da Play Store no Android,o já que o programa não consta na loja oficial da Google.

Outra medida que ajuda é ter um backup de todos seus dados na nuvem para poder restaurar o smartphone sem perder nada. Vale lembrar que, em se tratando de um crime, nem mesmo o pagamento para o golpista garante reaver o acesso aos dados.

Casos de sextortion já são velhos conhecidos e usam de algum ato considerado vergonhoso do usuário para evitar que ele busque ajuda para tratar do assunto. Quando se ver vítima de uma golpe desses, a recomendação é copiar o texto e colar no Google para tentar identificar se a mensagem se trata de um golpe comum ou uma ameaça direta.

Continua após a publicidade

Fonte: Check Point Research