Conheça as principais categorias de sites perigosos e como se prevenir

Conheça as principais categorias de sites perigosos e como se prevenir

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 09 de Agosto de 2021 às 19h20
Montagem Canaltech

Todos os dias, de uma forma ou de outra, a maioria de nós navega na web. No computador, no smartphone ou no tablet a visita às mais diferentes páginas é necessária para a maioria das ações diárias. É necessário, entretanto, ficar atento para não ser vítima dos mais diversos tipos de golpes que podem ocorrer nesse ambiente.

Como a maior parte dos acessos passa por páginas da web, o usuário deve ficar atento aos sites em que navega. Há muitas páginas maliciosas que buscam atrair os usuários para coletar seus dados, cometer fraudes ou instalar malware em seus equipamentos. Por isso, é importante saber quais tipos de endereços virtuais são mais perigosos. Acompanhe a lista a seguir.

1 – Conteúdo adulto

Os sites de conteúdo adulto estão entre os que mais crescem na web. Uma pesquisa da Netskope mostra que o trabalho em home office fez aumentar em 600% o acesso a plataformas que oferecem conteúdo pornográfico. Essas páginas costumam ter links maliciosos, anúncios e pop-ups que podem conter ameaças digitais.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

2 – Downloads de arquivos

A facilidade de obter músicas, videogames e filmes de graça na internet pode custar caro — especialmente se a oferta vier em um e-mail com um link. Além de ser crime contra direitos autorais, os sites de pirataria podem expor o usuário à instalação de vírus e malwares que podem abrir portas para que os golpistas roubem dados.

3 – Jogos online

Imagem: Reprodução/Elements/Prostock-studio

Sites de jogos são outra categoria que deve ser vista com desconfiança. É preciso ficar atento, especialmente, às páginas gratuitas — ainda mais às que forem indicadas por desconhecidos em mensagens enviadas por e-mail ou por WhatsApp. É bastante comum, ainda, que esses endereços sofram com vazamentos de dados.

4 – Lojas virtuais

O comércio eletrônico é um dos ambientes mais visados por golpistas. Muitas vezes, sites de lojas já estabelecidas são clonados para enganar o consumidor. Nessas páginas, a chance de ter prejuízo financeiro é grande. Então, antes de fazer uma compra, é importante confirmar que o endereço é legítimo. Em sites autênticos, por outro lado, as condições de compra geralmente são seguras.

5 – Páginas de fake news

Imagem: Reprodução/Elements/twenty20photos

Endereços que divulgam fake news atraem cada vez mais usuários em todo o mundo. A tática é simples: eles publicam “notícias” polêmicas, que supostamente tratam de temas de interesse público, para envolver os leitores. Quando os usuários chegam à página, são levados a clicar em links maliciosos, que os expõem a malwares e vírus. Prefira navegar em sites confiáveis para se informar.

Como se prevenir nesses e em outros sites

Muitos links maliciosos para essas categorias de sites chegam por e-mail ou mensagens de WhatsApp. Você já deve ter recebido uma excelente oferta de negócio, uma ameaça de suspensão de algum direito ou a promessa de facilitar o acesso a alguma operação.

Se essa mensagem vier com um link, pare antes de clicar nele! Há uma grande chance de que essa seja uma ação de phishing — a tática que induz o usuário a clicar em links que podem revelar suas informações pessoais.

Imagem: Reprodução/Elements/leungchopan

Se a mensagem for de um desconhecido, nem abra. Se abrir, ignore links contidos nela. “E se ela for de fonte confiável, mas tiver título suspeito, procure o remetente — em uma mensagem separada — para que ele verifique se sua conta foi comprometida”, alerta Laura Tyrell, Head de PR da NordVPN, especializada em soluções de privacidade, segurança e VPN.

Outro fator a ser observado é o aspecto do link. Se for muito longo e tiver uma sequência aleatória de palavras ou letras, é provável que seja uma tentativa de golpe digital. Então, contenha o medo de perder aquela oportunidade e, antes de clicar em qualquer link, questione-se se ele é legítimo.

E como saber se um link é legítimo?

Isto vale para qualquer site, seja um link que você recebeu por mensagem, seja um endereço que você encontrou em um mecanismo de busca. Primeiramente, observe se há erros de ortografia — se sim, duvide da autenticidade da página.

Se o link tiver vindo em uma mensagem que oferece um produto, verifique se a oferta é válida antes de clicar. “Uma pesquisa rápida pode evitar que o usuário revele informações confidenciais por descuido”, destaca Laura. “Lembre-se: se parece bom demais para ser verdade, provavelmente é um golpe.”

Imagem: Reprodução/Elements/twenty20photos

Se for uma URL encurtada e não for possível verificar se ela é genuína, procure o ícone de cadeado no começo do endereço (antes do “https”). Ao menor sinal de dúvida, prefira não arriscar. E, se houver pop-ups na página, cuidado: alguns são legítimos, mas eles sempre podem ser tentativas de phishing.

Para navegar com o mínimo possível de riscos, é importante saber identificar ações de phishing. Atente-se até aos menores detalhes: se um amigo sempre assina seus e-mails com "Obrigado!" e, desta vez, escreveu “Atenciosamente”, é melhor verificar.

Além disso, não forneça informações confidenciais e pessoais em sites que não conhece ou não confia. E mais: dados de cartão de crédito só devem ser compartilhados com empresas comprovadamente idôneas.

Antes de começar a navegar, procure ter um antivírus atualizado para evitar correr riscos. Outra opção é navegar em uma rede privada virtual (Virtual Private Network - VPN). Alguns fabricantes oferecem testes gratuitos dessas ferramentas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.