Netbook Samsung infectado com malwares está sendo leiloado por US$ 1,1 milhão

Por Thaís Augusto | 21 de Maio de 2019 às 18h28

Quanto você pagaria por um Netbook da Samsung infectado com seis malwares que, no passado, causaram danos financeiros avaliados em US$ 95 bilhões? Parece mentira, mas pode acreditar: existem pessoas dispostas a desembolsar mais de US$ 1,1 milhão pelo dispositivo.

O Netbook em questão, modelo NC10-14GB de 10,2 polegadas na cor azul, está sendo leiloado pelo artista Guo O Dong em parceria com a empresa de cibersegurança Deep Instinct. Eles dizem que o item deverá servir ao comprador como uma "obra de arte ou para motivos acadêmicos", já que está recheado de programas malicioso que pode causar danos, alterações ou roubar informações do computador.

"A venda de malware para fins operacionais é ilegal nos Estados Unidos. Como comprador, você reconhece que este trabalho representa um risco potencial à segurança. Ao enviar um lance, você concorda e reconhece que não tem intenção de divulgar qualquer malware", informa o site do leilão.

Netbook infectado com malwares está sendo leiloado (Foto: Divulgação)

Os vendedores ainda ressaltam que antes do envio do computador, os recursos de internet e as portas disponíveis serão funcionalmente desativadas. O Netbook está sendo chamado de The Persistence Of Chaos (ou A Persistência do Caos, em tradução livre). De acordo com o site, o equipamento foi isolado e suspenso para evitar a propagação de malware.

Os usuários que entram na plataforma do leilão encontram até uma transmissão ao vivo do computador, que está posicionado em cima de um pedestal. No vídeo, um efeito visual "macabro" faz com que o Netbook pareça um objeto amaldiçoado.

Estes são os seis malwares que estão rodando no Persistence Of Chaos:

WannaCry: o vírus de ransomware promoveu um ataque mundial em maio de 2017, exigindo o pagamento de um resgate em criptomoeda para devolver ao usuário o controle do computador. O WannaCry infectou 200 mil dispositivos em mais de 150 países.

BlackEnergy: o malware usa técnicas sofisticadas e criptografia robusta para causar ciberataques. Em 2007, ele distribuía bots para executar ataques via spam de e-mail, mas foi evoluindo até conseguir infectar diretamente pastas de dados de aplicativo local. Esta versão do malware foi responsável por um grande apagão na Ucrânia em dezembro de 2015.

ILOVEYOU: apareceu pela primeira vez em maio de 2000 e se espalhou ao enviar um email para cada pessoa da lista de contatos de usuários infectados com o anexo 'LOVE-LETTER-FOR-YOU.txt.vbs.' Abrir o anexo iniciaria um script que substituiria tipos aleatórios de arquivos, como arquivos do Office, arquivos de imagem e arquivos de áudio. O malware afetou mais de 500 mil computadores e causou danos estimados em US$ 15 bilhões.

Mydoom: começou em janeiro de 2004 e ainda é o malware de e-mail mais rápido de todos os tempos. Ele enviava lixo eletrônico usando computadores infectados. Rumores indicam que o ciberataque foi criado por russos e causou danos de US$ 38 bilhões.

SoBig: é um malware que começou a infectar computadores em agosto de 2003 via e-mail. Ele pode copiar arquivos, enviar e-mails para outras pessoas e danificar o software e hardware do computador. Ele próprio se desativou em 10 de setembro de 2003, mas afetou centenas de milhares de dispositivos e representou prejuízos de US$ 37 bilhões.

DarkTequila: existe desde 2013 e afeta computadores principalmente na América Latina. O malware rouba credenciais bancárias, dados corporativos e informações pessoais de computadores e é transmitido através de phishing ou pen drives infectados.

Se estiver interessado em dar um lance pelo Netbook, é melhor se apressar: o leilão acaba em menos de seis horas. Os custos de envio são responsabilidade dos vendedores.

Fonte: PC Gamer

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.