Ministério da Justiça notifica Zoom por compartilhamento de dados com Facebook

Ministério da Justiça notifica Zoom por compartilhamento de dados com Facebook

Por Wagner Wakka | 08 de Abril de 2020 às 21h00

O Ministério da Justiça notificou o aplicativo de chamadas em vídeo Zoom, após recorrentes informações de vazamentos de dados. O órgão dá 10 dias para que a empresa responda questionamentos sobre segurança dos usuários. Caso contrário, a instituição pode instaurar processo administrativo e até aplica multa.

Segundo documento, a empresa foi notificada nesta quarta-feira (8), para esclarecimentos “principalmente no que se refere à versão para o sistema iOS”, informa Departamento de Direito ao Consumidor do Ministério da Justiça, órgão ligado ao ministério. As informações são da Folha de São Paulo.

A principal preocupação diz respeito a uma denúncia de que o aplicativo compartilharia dados com o Facebook para refinamento de publicidade. "A investigação procura entender se a Zoom notifica o Facebook quando o usuário abre o aplicativo, assim como detalhes criados pelo dispositivo para direcionar anúncios para os usuários", diz a notificação.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Especificamente, é preciso que a Zoom informe quando e por que compartilha as informações dos usuários, quem tem acesso a estes dados e em quais versões do programa este compartilhamento acontece.

Caso com Facebook

Por conta do aumento de usuários em função do isolamento social da COVID-19, as atenções voltaram ao aplicativo Zoom. O site Motherboard denunciou que o app permitia o envio de dados de usuários com o Facebook, na versão de iOS. O principal problema era que a empresa não deixava claro como fazia o compartilhamento destes dados.

Depois de polêmicas sobre o caso, a Zoom lançou uma atualização que impede a distribuição das informações com o Facebook.

Além desta denúncia, o Zoom também é alvo de outras questões problemáticas. Um grupo de pesquisas intitulado SecKC conseguiu criar um app capaz de levantar 100 dados de reuniões por hora na plataforma. Em outro caso, hackers conseguiram invadir reuniões e exibir pornografia, mostrando que o serviço não é seguro.

Leia mais: Hackers estão invadindo conferências do Zoom para exibir pornografia

Órgãos do governo já impediram funcionários de usarem o programa para reuniões. Nesta segunda-feira (6), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) bloqueou o uso exatamente por problemas de segurança.

Leia mais: Anvisa bloqueia app de conferência remota Zoom devido a problemas de segurança

Fonte: Folha de São Paulo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.