Microempresas sofrem 252% mais tentativas de fraude que a média do setor

Microempresas sofrem 252% mais tentativas de fraude que a média do setor

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 22 de Dezembro de 2021 às 23h30
marketing land

A pandemia e a alta no desemprego levaram muitos brasileiros para o empreendedorismo. Com isso, aumentou a frequência de ataques cibernéticos contra esse público. Segundo a ClearSale, especialista em soluções antifraude, as microempresas têm 252% mais tentativas de fraudes que a média das empresas.

Os fraudadores identificaram que os microempreenderores têm dificuldade para lidar com a análise de fraude. “As fraudes direcionadas a pessoas jurídicas, como o microempreendedor individual (MEI), são cada vez mais comuns”, aponta Henrique Braga, head de fraude empresarial da ClearSale.

Microempreendedores têm dificuldade para analisar fraudes (Imagem: Reprodução/Elements/tommyandone)

Entre as ações mais comuns está o uso de dados de terceiros para abertura de lojas em nome de outras pessoas. O criminoso, então, cria empresas em seu próprio nome ou no de terceiros — esses indivíduos fornecem seus dados pessoais para compras e registro de bens. Depois, as usa para aplicar golpes.

Práticas complexas

Quanto maior a fraude planejada, mais complexas podem ser as práticas. Isso inclui desde a compra de empresas falidas, para se aproveitar do histórico de mercado delas, até a simulação de operações de fábricas. “Por ser um processo que requer maior complexidade de análise pode se tornar caro e aumentar a vulnerabilidade de empreendimentos não especializados.”

Braga lembra que, para evitar ser vítima desses golpes, os donos de microempresas devem recorrer ao uso de tecnologias e ao apoio de empresas especializadas no assunto. “Isso vai permitir otimizar os processos de decisão da empresa”, conclui.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.