Mais de 4 mil lojas online do Reino Unido sofreram ciberataques em 18 meses

Mais de 4 mil lojas online do Reino Unido sofreram ciberataques em 18 meses

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 25 de Novembro de 2021 às 23h40
twenty20photos/ Envato

Mais de 4 mil comerciantes online do Reino Unido foram alertados pelo Centro Nacional de Cibersegurança do país (National Cyber Security Centre. NCSC, na sigla em inglês) que seus sites foram invadidos por criminosos digitais que estavam tentando roubar informações pessoas e de pagamento dos clientes.

As invasões informadas pelo NCSC ocorreram nos últimos 18 meses. Todas elas foram identificadas pelo Programa de Segurança Virtual Ativa do órgão, que desde abril de 2020 verifica e analisa falhas que podem comprometer operações de varejos online.

A maioria dos varejos invadidos utiliza a plataforma de e-commerce Magento, e foi a partir de uma falha de segurança nesse serviço, explorada pelos criminosos, que os ataques ocorreram. A grande maioria dos comércios afetados são de pequeno a médio porte.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Dicas de segurança

O NCSC compartilhou dicas para os consumidores não ficarem triste com golpes em compras online. (Imagem: Reprodução/Envato/puhimec)

O NCSC aproveitou a proximidade da Black Friday para emitir o alerta e pedir para que todos os comércios, principalmente as de pequeno e médio porte, se protejam.

Para reforçar o pedido, o órgão compartilhou algumas dicas de segurança, como instalar últimas atualizações de segurança nos programas usados no gerenciamento do site e treinar os funcionários no básico de proteção virtual.

Além disso, o NCSC também disponibilizou alguns conselhos para que clientes não caiam em golpes enquanto realizam compras, seja na Black Friday ou em qualquer outro momento do ano. Listamos elas a seguir, já que mesmo vindo de um órgão do Reino Unido, elas também servem para os consumidores brasileiros:

  • Use uma solução de segurança confiável, capaz de identificar arquivos anexos maliciosos e bloquear sites falsos tanto no computador quanto no celular;
  • Desconfie das mensagens recebidas por e-mail e app de mensagens, especialmente se estiverem falando sobre bancos, pagamentos eletrônicos ou compras online;
  • Confira o endereço do link e sua ortografia. Caso seja uma loja desconhecida, verifique se há avaliações dela na internet;
  • Desconfie de ofertas que parecem boas demais para ser verdade, pois normalmente são golpes.

Fonte: NCSC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.