Mais de 12 milhões de ameaças virtuais foram bloqueadas no 3º trimestre de 2021

Mais de 12 milhões de ameaças virtuais foram bloqueadas no 3º trimestre de 2021

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 28 de Outubro de 2021 às 23h40
PXFuel

O dfndr enterprise, solução de cibersegurança da PSafe, bloqueou no terceiro trimestre de 2021 mais de 12 milhões de ameaças de malwares no Brasil. O número representa um aumento superior a 150% em relação ao segundo trimestre.

Entre os principais tipos de malwares detectados pela solução da PSafe estão o Data Stealler, usado para roubo de dados dos usuários; o Banker, que rouba senhas bancárias ou de cartões de crédito; Ransomware, responsável pelos sequestros virtuais; e os malwares de Android, como o Fake Install, que instala aplicativos falsos. e o SMS Fraud, ameaças que registram o celular dos usuários em serviços de SMS pago, causando prejuízo financeiro para as vítimas.

Marco DeMello, CEO da PSafe. (Imagem: Divulgação/PSafe)

“Qualquer pessoa que navega na Internet sem proteção está suscetível a este tipo de ameaça: você pode ser infectado ao abrir anexos de remetentes desconhecidos, baixar uma música ou instalar uma extensão desconhecida no seu navegador. Trata-se de softwares aparentemente inofensivos, mas altamente perigosos e que, uma vez instalados, podem gerar danos irreparáveis para uma empresa” alerta o CEO da PSafe, Marco DeMello.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Confira a lista com as principais ameaças detectadas pela solução da PSafe e suas descrições a seguir:

  • Ransomware - Impede o acesso aos arquivos, liberando-os apenas com um resgate;
  • Malvertising - Malwares espalhados por meio de anúncios, possivelmente até em sites confiáveis, sem seu conhecimento;
  • Crypto Jacking - Usa o poder computacional disponível no dispositivo para minerar criptomoedas;
  • Spyware - Atua como espião, procurando informações e as enviando ao atacante;
  • Adware - Exibe anúncios indesejados na tela dos usuários;
  • Trojan - Após instalado, passa o controle do dispositivo externamente para o atacante;
  • Worms - Possui características de replicação automática;
  • Rootkits - Utilizam técnicas para se esconder de soluções de segurança, como os antivírus;
  • Backdoor - São funções ocultas em um software, seja ele malware ou não, que permitem o acesso a um sistema ou aplicação de forma não autorizada.

Proteção

Os ataques virtuais, tanto para empresas quanto para pessoas físicas, podem ser desastrosos. Pensando nisso, a PSafe reuniu uma série de ações que podem diminuir os riscos de infecção digital. Confira elas a seguir:

  • Busque sempre as lojas oficiais;
  • Para ter certeza de que é um app confiável, sempre vá em “Sobre este app” para verificar algumas informações;
  • Desconfie se as permissões solicitadas pelo aplicativo não condizem com as funções que ele exerce;
  • É essencial que as empresas contem com uma a solução contra os vazamentos de dados, como, por exemplo, o dfndr enterprise, que identifica se um app é malicioso antes mesmo da instalação;
  • Pesquise os sites oficiais, verifique quem é o desenvolvedor dos apps que vai baixar em seus dispositivos corporativos, leia as avaliações de usuários e desconfie caso sejam insuficientes ou negativas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.