Instagram: roubo de identidades é usado em golpes com criptomoedas e pornografia

Instagram: roubo de identidades é usado em golpes com criptomoedas e pornografia

Por Felipe Demartini | Editado por Claudio Yuge | 14 de Abril de 2022 às 21h40
Montagem: Caio Carvalho/Canaltech

Caso você seja seguido ou contatado por um ricaço das criptomoedas, oferecendo uma grande oportunidade de investimento e enriquecimento rápido, saiba que é um golpe. É essa a mais recente faceta de tentativas de fraude que estão sendo aplicadas por meio do Instagram, com criminosos em busca de contaminar dispositivos com malware, roubas novas contas e obter depósitos de valores com a promessa de um retorno que jamais virá.

É uma reação em cadeia, que começa com um roubo de identidade para propiciar outros. Um exemplo é do investidor Mark Yusko, cujas imagens pessoas, incluindo em momentos com o filho, vêm sendo usada em golpes no Instagram. Em seu perfil real, trancado e pessoal, são menos de 100 seguidores; as contas falsas, entretanto, somam dezenas de milhares, todas focadas em aplicar golpes usando sua credibilidade no mercado e promessas de ganhos rápidos e altos.

Os contatos costumam acontecer por mensagens diretas, enquanto as contas em si trazem hashtags relacionadas a criptomoedas, câmbios e investimentos. Links para perfis no WhatsApp ou Telegram também podem aparecer, todas maneiras de ludibriar os usuários a entregarem dados pessoais, credenciais e, na pior das hipóteses, valores.

A tendência se tornou tão forte que já há um termo para isso, “rug pull”. A puxada de tapete, em inglês, se refere a câmbios e projetos com criptomoedas, bem como iniciativas envolvendo NFTs, que tentam acumular pequenos valores de múltiplos usuários em troca de apoio ou investimento; os responsáveis, normalmente desconhecidos, desaparecem, enquanto quem apostou na ideia fica a ver navios.

Enquanto isso, contas roubadas também podem ser usadas para aplicar novos golpes. A busca dos criminosos é pela aparência de legitimidade, por isso, um perfil furtado de terceiros, com alguns milhares de seguidores e anos de atividade, pode ser desfigurado para que se pareça com o de alguém como Yusko, aumentando a possibilidade de a fraude ser efetiva contra utilizadores incautos do Instagram.

Pornografia como vetor para ataques com malware

O mesmo, inclusive, também vale para criadores de conteúdo, principalmente mulheres, cujos amigos e contatos podem receber mensagens de perfis falsos sobre uma suporta empreitada no Onlyfans. Novamente, o contato acontece por meio de mensagem direta, com um link para a suposta página, juntamente com a notificação de um novo seguidor.

Desconfie sempre de contas com poucos seguidores ou que prometam conteúdo adulto e retorno financeiro rápido; identidades roubadas e ofertas desse tipo são as principais armas dos golpistas no Instagram (Imagem: Reprodução/Bleeping Computer)

Tais contas costumam ter poucas fotos, a maioria nem mesmo relacionada à pessoa cuja identidade foi roubada para a fraude — normalmente, ela só aparece na foto de perfil. Novamente, contas roubadas ajudam a aumentar a legitimidade dos golpes, que apesar da vida curta, ganham fôlego extra quando não partem de uma presença vazia e recém-cadastrada no Instagram.

Enquanto os usuários fraudados criticam a falta de ação do Instagram em casos desse tipo, a responsabilidade pela própria proteção recai ao próprio utilizador contatado pelos golpistas. As dicas de sempre, sobre não clicar em links ou acessar ofertas que pareçam boas demais para serem verdade, valem aqui, principalmente quando falamos da transferência de valores ou da entrega de dados pessoais e credenciais de acesso.

Caso seja contatado por alguma personalidade ou conhecido, verifique se o perfil com quem está falando é, efetivamente, real. No caso das celebridades e investidores notórios, basta uma busca em uma ferramenta de pesquisas; com os amigos, pergunte e busque informações antes de retornar o contato, também aproveitando para os avisar que alguém está usando a identidade deles de forma fraudulenta.

Desconfie, principalmente, de perfis vazios ou recém-criados, com poucas imagens e interações, mas que chegam cheios de promessas. Vale a pena, ainda, denunciar a conta para o Instagram, para que atitudes possam ser tomadas pela rede social contra os criminosos.

Fonte: Bleeping Computer

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.