Golpistas se passaram por Elon Musk para roubar R$ 10 milhões em criptomoedas

Golpistas se passaram por Elon Musk para roubar R$ 10 milhões em criptomoedas

Por Felipe Gugelmin | Editado por Patrícia Gnipper | 18 de Maio de 2021 às 15h30
Reuters/Joe Skipper

Famoso pela participação ativa em redes sociais e por investir no mundo das criptomoedas, Elon Musk, CEO da Tesla, teve sua imagem usada por golpistas que aplicam golpes através de plataformas como o Twitter. Segundo a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês), desde outubro de 2020 foram roubados mais de US$ 2 milhões (R$ 10 milhões na cotação atual) em criptomoedas por meio de esquemas em que criminosos se passaram pelo executivo.

Fingindo ser Musk, os criminosos pedem que pessoas façam transferências de criptomoedas para contas específicas, prometendo devolvê-las com incrementos substanciais. Embora o Twitter proíba esse tipo de comportamento, ainda é comum encontrar pessoas e bots realizando promessas do tipo na rede social.

A FTC afirma que, ao todo, mais de US$ 80 milhões (R$ 421 milhões) foram roubados em esquemas criminosos desde outubro do ano passado. As maiores vítimas têm entre 20 a 49 anos de idade, e aqueles que têm entre 20 e 30 anos foram vítimas de golpes de investimentos mais frequentemente do que de qualquer outro tipo de crime. “Mais da metade de suas perdas em esquemas foram em criptomoedas”, afirma o estudo. A comissão norte-americana traz algumas dicas para evitar cair em golpes:

  • Pesquise bem antes de investir: sempre procure em sites de busca por palavras-chave como “esquema”, “vale a pena” ou “reclamação” associados ao nome da companhia que promete grandes retornos;
  • Fique atento a grandes promessas: não confie em pessoas e plataformas que prometem dinheiro fácil ou retornos atraentes muito imediatos, mesmo que eles usem figuras famosas em suas propagandas;
  • Desconfie de ofertas que exigem o pagamento por criptomoedas, transferência direta ou cartões de presente, pois são boas as chances de isso se tratar de um golpe.

“Os golpes com criptomoedas podem acontecer em várias maneiras, mas todos são cheios de falsas promessas e falsas garantias”, alerta a FTC. Além de usar imagens e perfis convincentes que tomam a identidade de pessoas famosas, os criminosos também criam sites com características legítimas (que não permitem o saque de “investimentos”) e perfis em sites de namoro para tentar realizar os roubos.

Fonte: The Verge, Federal Trade Commission

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.