Golpes com criptomoeda: principais ameaças e como se proteger

Golpes com criptomoeda: principais ameaças e como se proteger

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 27 de Janeiro de 2022 às 13h00
Divulgação/WorldSpectrum/Pixabay

Conforme a popularidade do mercado de criptomoedas aumenta, também sobe o número de criminosos interessados nele. Com isso, a firma de segurança ESET acredita que é importante a população ter consciência de como os golpes são aplicados e também de como eles podem ser prevenidos.

Entre outubro de 2020 e maio de 2021, quase US$ 80 milhões de dólares (71 milhões de euros) foram perdidos nos Estados Unidos como resultado de milhares de golpes relacionados a criptomoedas, segundo pesquisa da FTC. Com o lucro aparente desses golpes, é possível que em 2022 eles ocorram com ainda mais frequência.

Segundo a ESET, em 2020 e 2021, uma grande variedade de golpes de criptomoedas foram detectados. Entre os principais, a empresa cita os seguintes:

  • Esquemas de Pirâmide: Este é um tipo de golpe de investimento em que as vítimas são induzidas a investir em um projeto inexistente ou “esquema de enriquecimento rápido” que, na verdade, não faz nada além de encher o bolso do golpista. A criptomoeda é ideal para isso, pois os golpistas estão sempre criando tecnologias “de ponta” que não são bem especificadas para atrair investidores e gerar maiores lucros virtuais. Falsificar dados é fácil quando o dinheiro é virtual;
  • Pump and dump: Os golpistas incentivam os investidores a comprar criptoativos em projetos de criptomoedas pouco conhecidos com base em informações falsas. O preço dos ativos sobem posteriormente e o golpista vende suas próprias ações, obtendo um lucro considerável e deixando a vítima com ações sem valor.
  • Endossos falsos de celebridades: Os golpistas sequestram contas de redes sociais de celebridades ou criam contas falsas, incentivando os seguidores a investir em esquemas falsos como os acima. Em um caso, cerca de US$ 2 milhões foram perdidos para golpistas que até usaram o nome de Elon Musk em um endereço Bitcoin, para tornar o golpe mais confiável.
  • Falsos e-mails: Os golpistas enviam e-mails ou postam mensagens nas mídias sociais prometendo acesso ao dinheiro virtual armazenado em uma exchange de criptomoedas, que serão disponibilizados mediante o pagamento de uma taxa. Os fundos nem a plataforma existem;
  • Aplicativos falsos: Os cibercriminosos falsificam programas de criptomoedas legítimos e os carregam em lojas de aplicativos. Se instalado, pode roubar dados pessoais e financeiros ou plantar malware no dispositivo. Outros podem induzir os usuários a pagar por serviços inexistentes ou tentar roubar logins de uma carteira de criptomoedas.

Como se proteger de golpes de criptomoedas

Se prevenir de golpes de criptomoedas é um passo importante para entusiastas do mercado. (Imagem: Reprodução/ESET)

Para evitar se tornar uma vítima dos golpes de criptomoeda, a ESET recomenda os seguintes passos:

  • Nunca forneça dados pessoais a uma entidade que faça contato para oferecer algo que não foi solicitado, seja por email, mensagem de texto, redes sociais, etc;
  • Se algo parece bom demais para ser verdade, geralmente é. Trate qualquer esquema de investimento com suspeita;
  • Ative a autenticação em duas etapas (2FA) em todas as contas de criptomoeda que você possui;
  • Descarte qualquer "oportunidade" de investimento que exija um pagamento adiantado;
  • Nunca baixe aplicativos de lojas não oficiais.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.