Golpe no WhatsApp usa Fundo Garantidor de Crédito para atrair vítimas

Golpe no WhatsApp usa Fundo Garantidor de Crédito para atrair vítimas

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 24 de Agosto de 2021 às 22h30
Divulgação/Thomas Ulrich/Pixabay

Os golpes não param. Por isso, é preciso estar sempre atento. Uma mensagem que tem circulado pelo WhatsApp faz referência ao Fundo Garantidor de Créditos (FGC). São fraudadores que usam o nome da instituição para oferecer empréstimos falsos. No texto, os criminosos apresentam dados públicos como justificativa para garantir que falam em nome do FGC.

Por isso, a instituição alerta que é uma entidade privada sem fins lucrativos que protege investidores, depositantes e correntistas quando instituições financeiras são liquidadas e não conseguem honrar seus pagamentos. O FGC integra a rede de proteção do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e esclarece que não atua como instituição financeira, bem como não oferece nem intermedeia empréstimos a pessoas físicas ou jurídicas.

Imagem: Divulgação/FGC

O FGC afirma que está tomando medidas jurídicas em relação às ocorrências e orienta que consumidores que receberem abordagens em seu nome não devem fornecer dados pessoais e bancários. Além disso, é essencial que não façam depósitos antecipados e guardem as mensagens que comprovam o ato fraudulento. Denúncias podem ser feitas pelo e-mail [email protected]

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Um levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) indica aumento nas tentativas de fraudes financeiras no país durante a pandemia de COVID-19. Desde o início da crise sanitária, as instituições registraram crescimento de 80% nas tentativas de ataques por phishing — que engana usuários para obter informações confidenciais.

Para cometer as fraudes, os golpistas utilizam mensagens que parecem legítimas e, em geral, contém vírus ou links que direcionam a sites falsos. De acordo com a instituição, outro golpe crescente envolve falsos funcionário e falsas centrais telefônicas: eles tiveram aumento de 70%.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.