Crimes com PIX em SP crescem mais de 200% no 1º trimestre de 2022

Crimes com PIX em SP crescem mais de 200% no 1º trimestre de 2022

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 18 de Maio de 2022 às 22h00
Caio Carvalho/Canaltech

Ocorrências envolvendo o PIX aumentaram no primeiro trimestre de 2022, quando comparados aos números do mesmo período de 2021. Segundo informações da CNN Brasil, somente em São Paulo, foram registradas cerca de 1,2 mil queixas de transações não autorizadas, contra 387 no exercício anterior — um aumento de cerca de 228,4%.

As ocorrências são diversas, podendo envolver desde transações não autorizadas até participação em golpes de grande escopo através da plataforma de pagamentos instantâneos do Banco Central, como ocorreu com a fintech Superdigital, do banco Santander.

Segundo investigação da Polícia obtida pela revista Veja, uma quadrilha prometia a clientes do banco formas de dobrar seus saldos em conta através de uma falha no sistema da fintech, que permitia o recebimento do dobro do estorno de uma transação PIX feita no sistema da instituição bancária.

A ação durou apenas dois dias em janeiro de 2021, mas mesmo assim foi o suficiente para movimentar cerca de R$ 13 milhões através de transações PIX. O Superdigital afirma ter corrigido a falha, embora não tenha divulgado detalhes sobre exatamente como o saldo era dobrado por meio dela.

Roubo de celulares também se intensifica

Roubo de celulares vem se intensificando desde o lançamento do PIX. (Imagem: André Magalhães/Canaltech)

Outra situação que vem crescendo desde o lançamento do PIX é o roubo de celulares, como somente nos meses de janeiro e fevereiro a ocorrência desse tipo de crime em São Paulo aumentando 6%, somando 60,8 mil registros.

O roubo de celulares pode levar a situações complicadas para as vítimas, como explicado no Canaltech após um relato de um usuário que teve sua vida financeira virada de cabeça para baixo após o furto de seu dispositivo móvel ter viralizado na internet. Para evitar essas situações, é sempre importante proteger os aparelhos, seja através do bloqueio de tela automático, uso de senhas fortes e autenticação de dois fatores.

Fonte: Veja, IstoÉ Dinheiro

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.