Brasil registrou 30 ataques DDoS por hora em 2017, revela pesquisa

Por Natalie Rosa | 19 de Fevereiro de 2018 às 17h38
photo_camera Reprodução

O ano de 2017 chegou ao fim com um total de 264.900 ataques DDoS (negação de serviço) no Brasil, sendo 728 ataques por dia e 30 por hora, segundo o 13º Relatório Anual sobre Segurança da Infraestrutura Global de Redes, da Arbor Networks, divisão de segurança da NetScout.

Segundo a análise, foram registrados ainda 7,5 milhões de ataques DDoS em 2017 de forma global. No Brasil, 34,09% dos ataques vieram de dentro do próprio país, seguido pelos Estados Unidos, com 30,30% das fontes de ataque, pelo Canadá com 17,80%, e Reino Unido com 17,80%.

O estudo revela ainda que o Brasil está entre os cinco primeiro alvos de ataques DDoS no mundo, sendo 3,7% do total, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (24%), Coreia do Sul (10,3%), China (8,7%) e França (4,6%).

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O diretor geral da Netscout Arbor para o Brasil, Geraldo Guazzelli, afirma que foi identificado no Brasil, também no ano passado, o maior ataque de pacotes por segundo, o PPS. Nesta invasão, 245 milhões de pacotes foram enviados por segundo no mês de julho.

"Esse tipo de ataque visa também firewalls, sistemas IPS e balanceadores de carga, tornando essas soluções de segurança pontos de vulnerabilidade na infraestrutura das empresas. É uma aparente e real inversão de valores, na qual dispositivos introduzidos na rede para elevar o nível de segurança, acabam contribuindo para o sucesso de um ataque", conta.

Em um ano, de 2016 a 2017, os ataques volumétricos passaram por uma redução de tamanho, chegando a picos de 600 Gbps em 2017, enquanto em 2016 foi registrado pico de 800 Gbps. O estudo conta também que 57% das empresas e 45% das operadoras de datacenter participantes das pesquisas contam ter a sua banda de internet saturada pelos ataques de negação de serviço, sendo 3% a mais em relação ao ano anterior.

"Isso, porém, não significa um alívio para as operadoras e empresas, mas consolida a nossa presença no mapa mundial de ataques. Em 2016 foram realizados os Jogos Olímpicos, evento de visibilidade mundial que atrai ainda mais a atenção dos hackers e criminosos. Ainda no caso do Brasil, é interessante notar que há um grande número de dispositivos IoT contaminados, integrando botnets – as redes zumbi – que disparam ataques DDoS", finaliza Guazzelli.

O relatório completo está disponível em português no site da Arbor Networks.

Fonte: Arbor

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.