Ataques riskware crescem no mundo inteiro no primeiro trimestre de 2022

Ataques riskware crescem no mundo inteiro no primeiro trimestre de 2022

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 27 de Abril de 2022 às 23h00
Shutterstock

As ameaças virtuais vêm sendo um problema para empresas do mundo todo, seja por táticas de ransomware, phishing ou outros golpes. Porém, um outro tipo de risco, o riskware, também precisa ser foco de atenção das corporações, já que a solução de segurança dfndr enterprise, da PSafe, identificou mais de 3,7 milhões de tentativas de ataques utilizando este método no Brasil somente nos três primeiros meses de 2022.

Segundo Marco DeMello, CEO da PSafe, o riskware é originalmente um programa legítimo, mas que apresenta vulnerabilidades que podem ser exploradas pelos cibercriminosos, ocasionando situações que podem levar ao vazamento de dados de empresas — e que, durante o primeiro trimestre de 2021, tiveram cerca de 41 mil ocorrências por dia.

“Um dos principais perigos é que, em dispositivos sem proteção, o cibercriminoso pode passar meses com acesso ao sistema sem que seja notado. O invasor pode impedir atualizações de sistema, acessar informações sensíveis da empresa, como orçamento, e, apesar de menos comum deste tipo de ameaça, também ocasionar um vazamento de dados”, pontua Marco de Mello.

E por consequência de um vazamento de dados ocasionado por um riskware, a empresa pode sofrer graves prejuízos na forma de sanções da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), com multas que podem chegar a R$ 50 milhões, além de ter uma mancha irreparável na sua reputação que pode levar, inclusive, à falência do negócio

Como se prevenir de ataques riskware?

Os riskware, por mais diferentes que sejam de malware, também podem ser detectados por soluções de segurança específicas. (Imagem: Reprodução/Pete Linforth/Pixabay)

Para se prevenir de ataques riskware, a recomendação é que as empresas e os usuários de computadores devem seguir as dicas abaixo:

  • Limite programas que podem ser executados com privilégios de administrador;
  • Leia os termos de uso e serviço dos programas instalados na máquina, por motivos legais;
  • Desinstale qualquer programa que atrapalhe o funcionamento de outro;
  • Evite downloads de conteúdos ilegais na máquina.

Além disso, a PSafe também recomenda a utilização de soluções de segurança que contem com Inteligências Artificiais, para analisar o comportamento de programas e poder alertas os usuários em caso detecção de atividades fora do comum e suspeitas na máquina, mesmo que não relacionadas a infecções com malware.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.