Ataques de bots criminosos já crescem mais do que os cometidos por humanos

Ataques de bots criminosos já crescem mais do que os cometidos por humanos

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 17 de Setembro de 2021 às 22h30

A LexisNexis Risk Solutions, empresa conhecida por suas plataformas de transações digitais, divulgou os resultados de seu Relatório sobre Crimes Cibernéticos, referente ao primeiro semestre de 2021. E, além da movimentação dos negócios em ambientes eletrônicos, o levantamento também aborda as atividades fraudulentas ligadas ao setor.

O estudo, que analisou 28,7 bilhões de transações em negócios digitais ocorridas na Rede de Identidade Digital LexisNexis Risk Solutions durante o primeiro semestre, mostrou que os ataques feitos por bots nessas movimentações cresceram 41% durante o período, enquanto golpes realizados por humanos tiveram uma queda de 29%.

Parte do relatório indicando o crescimento dos ataques de bot e a queda dos ataques humanos. (Imagem: Captura de Tela/ Dácio Augusto)

A pesquisa também observou mudanças geográficas nos ataques contra as transações digitais. Com base nos endereços IP de bots, o relatório coloca o México junto do Brasil como um dos dez países que mais criam ataques de bots em volume, deixando a América Latina ainda mais estabelecida como um ponto em evidência no cenário de crimes virtuais. 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A América do Norte, que historicamente contava com taxas de ataques semelhantes a da Europa, Oriente Médio e África, desde março de 2021 tem visto aumento nas ocorrências, com criminosos nos Estados Unidos e no Canadá se tornando mais ativos, um fato possivelmente relacionado às mudanças trazidas pela pandemia da covid-19.

Para Stephen Topliss, vice-presidente do setor de fraude da LexisNexis Risk Solutions, esses números significam que, além dos criminosos virtuais terem confiança em processos automatizados, eles também estão estabelecendo redes mais sofisticadas e expansivas para realizar seus golpes. Isso é notável por dados apresentados no relatório, que mostram que mais de 34 mil ataques de bot realizados no primeiro semestre estão diretamente conectados com uma rede de fraude de transações da América Latina. 

As principais conclusões do relatório

O Relatório sobre Crimes Cibernéticos referente ao primeiro semestre de 2021 confirmou o padrão de tendências já avistadas em outros estudos, mostrando que serviços financeiros e empresas de mídia são os principais alvos dos ataques automatizados por botnet. 

 Confira as principais conclusões do relatório:

  • Ataques por bots estão crescendo globalmente: todas as regiões viram um aumento no volume de bots entre janeiro e junho de 2021, em comparação com o mesmo período do ano passado. O maior crescimento foi observado na Ásia-Pacífico e na América Latina;
  • Inovações da indústria estão modificando os perfis de riscos: novos serviços, como carteiras digitais "compre agora, pague depois" (BNPL) estão se tornando métodos de pagamento cada vez mais populares, com as transações BNPL crescendo 182% em relação ao ano passado. Porém, ao mesmo tempo que a tendência dessas novidades é de continuar crescendo, elas também criam novas vias de ataques para os cibercriminosos;
  • Serviços financeiros estão implementando novos métodos de rastrear dinheiro: os avanços relacionados à inteligência do beneficiário na Rede de Identidade Digital estão facilitando que bancos e outros serviços de pagamentos rastreiem transferências de dinheiro, mesmo em casos onde o beneficiário tenta ocultar o rastro financeiro e dividir o pagamento entre várias instituições;

O relatório completo está disponível aqui.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.