Nos EUA, 100% da população já está em um banco de dados de reconhecimento facial

Por Redação | 24 de Julho de 2012 às 10h35

Jennifer Lynch, especialista em direito na internet, afirma que "muitos norte-americanos podem não saber, mas eles já estão em um banco de dados de reconhecimento facial".

Segundo informações do NetworkWorld, o Subcomitê Judiciário sobre Tecnologia, Privacidade e a Lei dos EUA realizou uma audiência sobre o reconhecimento facial e sua relação com a privacidade e liberdade dos civis. O reconhecimento de rosto em tempo real parece próximo e isso começa a preocupar autoridades que zelam pela privacidade da população.

Reconhecimento facial

Isso não quer dizer que as pessoas devam sair por aí com um saco na cabeça para que seu rosto não caia no banco de dados do FBI, no entanto, "o reconhecimento facial permite a captura secreta, remota e de massa - e as fotos que podem acabar em um banco de dados incluem não apenas o rosto de uma pessoa, mas também a roupa que ela está vestindo e, possivelmente, com quem ela está. Isso cria ameaças à liberdade de expressão, o que não é evidente em outros métodos biométricos", declarou Jennifer Lynch.

O senador Al Franken também se manifestou em relação ao assunto: "As dimensões de nossos rostos são tão originais quanto nossas impressões digitais. E agora existe tecnologia que dá ao governo e empresas a capacidade de descobrir o seu nome e outras informações pessoais com nada mais do que uma fotografia".

Agora imagine se você estiver em uma multidão e for fotografado por mero acaso ao lado de uma pessoa suspeita de algum crime? Por isso esse assunto é muito delicado e os debates judiciais quanto à violação da privacidade e precisão deste método ainda vão longe.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.