Super Mario pode melhorar capacidade cognitiva e prevenir demência

Por Redação | 26 de Dezembro de 2017 às 12h33

Um estudo recente realizado por professores canadenses de psicologia da Université de Montréal descobriu que jogar jogos tridimensionais (3D), tais como Super Mario 64, por um período de dois meses pode ajudar a reduzir as deficiências cognitivas e, por tabela, a demência.

As pesquisas envolveram 33 adultos entre 55 e 75 anos de idade, que foram divididos aleatoriamente em três grupos durante a fase experimental. Ao longo de seis meses, o primeiro grupo foi submetido a sessões de jogos 3D, e uma das exigências era que os indivíduos jogassem o game do encanador bigodudo da Nintendo por meia hora, cinco dias por semana. Enquanto isso, o segundo grupo recebeu aulas de piano digital através de lições informatizadas, pelo mesmo período de tempo. Por fim, ao terceiro grupo, nenhuma atividade foi atribuída – estes acabaram servindo como grupo de controle do experimento.

Os resultados demonstram que apenas no primeiro grupo houve aumento de volume da matéria cinzenta, tanto no hipocampo quanto no cerebelo, contribuindo para uma melhora na memória de curto prazo ou primária.

O hipocampo é uma estrutura importantíssima, considerada a principal sede da memória e importante componente do sistema límbico – este último, sendo responsável pelas emoções e comportamentos sociais. O volume de sua matéria cinzenta é um fator crítico para indicar transtornos mentais progressivos, tais como a demência e o Alzheimer.

No segundo grupo, por sua vez, também foi notado um aumento de volume da matéria cinzenta na área dorsolateral do lobo frontal. Já no terceiro e último grupo, o volume nas três regiões do cérebro diminuiu, indicando que a deficiência cognitiva está ligada à falta de um novo aprendizado.

Felizmente, Gregory West, um dos pesquisadores do estudo, oferece uma solução que poderia reverter esses efeitos: segundo ele, os jogos 3D incentivam o hipocampo a criar mapas cognitivos ou imagens mentais a serem exploradas pelo jogador. Os games que trazem quebra-cabeças e/ou desafios lógicos apresentam mais estímulos à região, o que, por consequência, promove o crescimento da matéria cinzenta.

O experimento em questão é quase como uma extensão natural de outros dois que ocorreram em 2014 e 2017 – estes dois feitos em jovens adultos. Graças a seus resultados promissores, foi pedido que os pesquisadores canadenses deem continuidade ao estudo, com o intuito de explorar a possibilidade de encontrar os mesmos resultados, só que em pessoas mais velhas.

Fonte: Tech Times

Participe do nosso grupo de ofertas no Facebook e tenha acesso aos melhores descontos e cupons para você garantir sempre o menor preço em suas compras online.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.