Realidade virtual ajuda médicos britânicos na luta contra a COVID-19

Por Nathan Vieira | 20 de Maio de 2020 às 21h30

Na Inglaterra, médicos do Imperial College Healthcare NHS Trust, que inclui o Charing Cross Hospital, o Hammersmith Hospital e o St. Mary's Hospitalestão recorrendo a uma nova aliada nessa luta contra a COVID-19: a realidade virtual. Na prática, os profissionais de saúde usam os óculos de realidade virtual para se comunicar com seus colegas, reduzindo drasticamente quantos trabalhadores médicos precisam entrar em contato com pacientes com COVID-19.

Acontece que os óculos HoloLens, da Microsoft, permitem que o usuário se comunique com colegas ou solicite informações, como resultados de raios-X, de técnicos que esperam com segurança em uma sala diferente, enquanto trabalham na linha de frente na área de maior risco de alguns dos hospitais mais movimentados de Londres.

A equipe diz que o uso do HoloLens levou a uma queda no tempo que os funcionários passam em áreas de alto risco de até 83%, e também está reduzindo significativamente a quantidade de equipamento de proteção individual em uso, pois apenas o médico que usa os óculos de realidade virtual é que precisa se vestir com os equipamentos em questão. As primeiras estimativas sugerem que o uso economiza até 700 equipamentos de proteção individual por ala, por semana.

Realidade virtual ajuda médicos britânicos na luta contra a COVID-19 (Foto: Imperial College London)

Os acadêmicos clínicos James Kinross e Guy Martin, do Departamento de Cirurgia e Câncer do Imperial College London, têm trabalhado em parceria com a Microsoft e o Imperial College Healthcare para entregar o projeto, melhorar a qualidade do atendimento prestado aos pacientes e proteger a equipe durante COVID-19. “Em março, tínhamos um hospital cheio de pacientes com COVID-19. Médicos, enfermeiros e profissionais de saúde aliados que prestam cuidados na enfermaria tiveram um alto risco de exposição ao vírus e muitos ficaram doentes. A proteção da equipe foi um fator motivador importante para este trabalho, mas também a proteção dos pacientes. Se nossa equipe estiver doente, eles podem transmitir a doença e não podem prestar assistência médica especializada para aqueles que mais precisam", afirma Kinross.

O HoloLens permite que os usuários coloquem modelos digitais 3D na sala ao lado deles e interajam com eles usando gestos, olhar e voz. Assim, os médicos que usam HoloLens nas enfermarias de COVID-19 podem realizar videochamadas com colegas e inclusive especialistas de qualquer lugar do mundo. “Agora estamos analisando outras áreas em que podemos usar o HoloLens".

Fonte: Imperial College London

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.