Pesquisadores criam IA capaz de diferenciar células cancerígenas das saudáveis

Pesquisadores criam IA capaz de diferenciar células cancerígenas das saudáveis

Por Wagner Wakka | 27 de Dezembro de 2018 às 08h42

A principal forma de combater o câncer é eliminar as células cancerígenas. O desafio atual da medicina é fazer isso sem matar também as células boas. Porém, pesquisadores estão tentando desenvolver uma inteligência artificial capaz de fazer esta diferenciação e eliminar o problema de forma mais segura para o paciente.

Conduzida por um grupo de cientistas japoneses, o estudo busca fazer com que um computador seja capaz de diferenciar as células cancerígenas das boas usando imagens de exemplos de células doentes e outras saudáveis. Junto disso, a ideia é também identificar se as células são sensíveis à radioterapia.

Ao saber quais são e onde estão tais células, os médicos podem ser capazes de criar tratamentos mais direcionados e, assim, efetivos contra a doença, aumentando as possibilidades de sucesso.

"Nós primeiro treinamos nosso sistema em 8.000 imagens de células obtidas a partir de um microscópio de contraste de fase", disse o autor e correspondente e professor da Universidade de Osaka, Hideshi Ishii. “Em seguida, testamos a precisão do sistema de IA em outras 2.000 imagens e mostramos que ele aprendeu as características que distinguem as células de câncer de rato das humanas e as células de câncer radiorresistentes das radiossensíveis”.

Com isso, os pesquisadores também acreditam que os dados levantados podem ser utilizados para de fato saber quais células são cancerígenas e direcionar o tratamento para isso.

Junto disso, o sistema também pode ajudar no pós-operatório e informar se o paciente pode se considerar curado.

A pesquisa foi publicada na íntegra no site da Universidade de Osaka.

Fonte: Asian Scientist, Universidade de Osaka

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.