Modo noturno com tom amarelado pode prejudicar o seu sono, dizem cientistas

Por Felipe Ribeiro | 18 de Dezembro de 2019 às 10h55
Android Police

Um estudo da Universidade de Manchester revela que os modos noturnos dos smartphones que adotam tons amarelados são piores para os olhos humanos do que o uso normal do aparelho, com as cores reais e nível de luz padrão.

Até hoje o consenso por trás do uso de uma tonalidade amarela na tela era, pelo menos, baseado em princípios cientificamente plausíveis. No seu olho, uma proteína chamada "melanopsina" responde à intensidade da luz e, especificamente, reage mais fortemente à luz de menor comprimento de onda.

Na tela do telefone, você normalmente tem três "subpixels" que iluminam cada ponto da tela, que são nas cores vermelho, verde e azul. O subpixel azul tem o menor comprimento de onda e, portanto, quando ativamos esse "modo noturno" amarelado, o telefone reduz bastante o brilho desse subpixel, ou até o desliga completamente, fazendo com que a tela pareça muito mais amarela.

Imagem: CNET

Mas, de acordo com a pesquisa, o benefício proporcionado por prolongar o comprimento de onda médio da luz emitida pelo visor do telefone (ou seja, mais quente) provavelmente é superado por outro fator relacionado à maneira como seus olhos afetam o relógio biológico.

Experimentos com ratos sugerem que as células cônicas com sensor de cor em seus olhos provavelmente respondem muito mais à tonalidade amarela produzida quando um telefone está no modo noturno, e que isso pode realmente levar a um efeito de contrapeso mais forte. Ou seja, para qualquer benefício que a falta de comprimento de onda curto que a luz azul esteja fornecendo, as células cônicas com detecção de cor em seus olhos provavelmente estão desempenhando um papel mais importante no envio desses sinais biológicos que informam ao seu cérebro se é dia ou noite. Ou seja: você fica mais pilhado com o tom amarelado, pois se esforça mais para enxergar.

Parece confuso, é verdade, principalmente porque os cientistas de Manchester não realizaram o estudo em nível microbiológico — sendo apenas de observação, com conclusões tiradas de ratos expostos a diferentes cores de luz com brilho idêntico. Durante o dia, somos expostos a uma alta intensidade de tons de amarelo e branco, e o resultado do estudo sugere que são essas cores que têm maior efeito no ciclo do sono.

Ainda assim, a pesquisa diz que a primeira coisa que nos mantém acordados, no final do dia, é apenas o telefone. A tela do seu telefone é brilhante, perturbadora, e está enviando sinais ao seu cérebro que sugerem que ainda não é hora de dormir.

Para facilitar: quer dormir? Não use o telefone.

Fonte: The University of Manchester

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.