Itália chega ao recorde diário de 969 mortes pela COVID-19

Por Claudio Yuge | 27 de Março de 2020 às 17h55
Fotos Públicas

Embora os Estados Unidos tenham assumido o posto de novo epicentro do novo coronavírus (SARS-CoV-2), com mais de 99 mil casos confirmados nesta sexta-feira (27), a Itália segue com o cenário mais preocupante em todo o mundo. O país chegou ao recorde diário de mortes com 969 óbitos relacionados à COVID-19 ao longo do dia. Os números são da agência de proteção civil do governo italiano.

No sábado passado (21), a Itália chegou a contabilizar 793 mortes devido à COVID-19. Ao longo da semana, a contagem oscilou entre 600 e 740, mas agora o número chegou a esse alarmante patamar. A região mais atingida é a da Lombardia, onde fica o centro fashion Milão, local que acumula 5,4 mil mortos.

Imagem: Reprodução/Fotos Públicas

O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, admitiu que a campanha para que os negócios continuasse funcionando e que as pessoas deixassem isolamento foi um desastre, que contribuiu para esse cenário. “Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título ‘Milão não Para’. Era 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente, errado”, disse à emissora RAI, no domingo (22).

O pior ainda pode estar por vir na Itália

O cenário ainda é de extremo alerta na Itália, pois o chefe do Instituto Superior de Saúde do país, Silvio Brusaferro, afirmou que o país ainda não chegou à previsão de pico de infectados pelo novo coronavírus. Atualmente, são quase 86,5 mil casos confirmados e 9.134 mortes, com 10.950 pessoas recuperadas.

Embora o isolamento imposto pelo governo tenha ajudado a desacelerar o número de transmissões, Brusaferro disse que “o pico não está longe” e, a partir disso, a tendência é de queda. Mas, deixou claro que isso depende “do nosso comportamento para influenciar o quão íngreme vai ser a queda, quando ela começar”, reforçando a necessidade de distanciamento social.

Imagem: Reprodução/Fotos Públicas

Na Espanha, a situação também é preocupante, pois a COVID-19 vem escalando rapidamente, com 769 mortes nas últimas 24 horas — e um total de 4.934 mortes. Segundo o Worldometer, são cerca de 588 mil casos confirmados em todo o mundo, com 26.909 óbitos e 132,4 mil recuperados.

No Brasil, dados desta sexta do Ministério da Saúde contabilizam 92 mortes e 3.417 testes positivos — vale lembrar que o número de infectados pode ser maior, pois muitos não apresentam sintomas ou passaram por exames, e que o isolamento vem ajudando o país a manter a doença em um nível controlado até agora.

Fonte: BBC  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.