Estudo analisa se a poluição estaria relacionada à incidência de doenças mentais

Por Nathan Vieira | 22 de Agosto de 2019 às 08h40

Um estudo publicado na última terça-feira (20) pela revista PLOS Biology trouxe à tona a relação existente entre a poluição e as doenças mentais, como bipolaridade, esquizofrenia ou depressão. Embora os pesquisadores tenham encontrado evidências de que exista essa correlação, ainda não está claro se a poluição está de fato afetando nossos cérebros, ou como isso acontece.

O estudo analisou as informações de 151 milhões de pessoas nos Estados Unidos e 1,4 milhão de pessoas na Dinamarca. Os pesquisadores descobriram que, depois da etnia, o fator mais influente em um paciente diagnosticado com transtorno bipolar era a qualidade do ar. A pesquisa tentou levar em conta fatores como renda, etnia e densidade populacional, mas um outro fator que poderia estar ligado à saúde mental e à poluição poderia ser o ruído do tráfego, que é conhecido por aumentar o estresse e atrapalhar o sono. "Apesar das análises envolvendo grandes conjuntos de dados, as evidências disponíveis apresentam falhas substanciais e uma longa série de possíveis vieses pode invalidar as associações observadas", aponta o próprio estudo. 

Doenças mentais, como a depressão, têm relação com a poluição

Segundo o que é dito por John Ioannidis, da Universidade de Stanford, no artigo publicado na PLOS Biology, se fosse confirmado que o ar sujo está causando as condições mentais, isso "abriria novos caminhos para a prevenção e o tratamento".

Algo que representa um empecilho ao estudo é a falta de dados sobre a verdadeira exposição do indivíduo à poluição. No entanto, uma possibilidade levantada pela pesquisa é que alguns dos menores poluentes — material particulado conhecido como PM2.5s — podem atravessar a barreira hematoencefálica, potencialmente afetando o cérebro. Outra possibilidade é que o aumento da inflamação no corpo causada pela poluição gera estresse.

A conclusão que o estudo chega é que há sim uma associação entre ar sujo e distúrbios mentais, mas isso justamente implica mais pesquisas antes que se bata o martelo nesta correlação. Então resta aguardar pelo que ainda pode ser descoberto por meio de futuras pesquisas.

Fonte: PLOS Biology via New Scientist

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.