Em crescimento, cirurgias robóticas trazem resultados significativos

Por Nathan Vieira | 17 de Dezembro de 2019 às 08h45

Desde 2008, quando chegou ao Brasil, a cirurgia robótica já rendeu mais de 5 mil procedimentos. Nos últimos cinco anos, elas cresceram cerca de 500% no Brasil, comprovando que o método está mais acessível e procurado pelos pacientes. Esses robôs cirúrgicos já chegaram em todas as regiões do país e são 45 no total, sendo que quase metade (21) deles está em São Paulo.

Por ser menos invasiva, a cirurgia robótica possibilita vantagens significativas. Entre elas, temos menos dores, traumas ou sangramentos. Tendo isso em mente, a ginecologia é uma das que mais utilizam robôs, ao lado da urologia e dos procedimentos cirúrgicos do aparelho digestivo, de acordo com informações de especialistas do Hospital Santa Catarina. Entre os destaques, a instituição menciona o robô Da Vinci Xi que, na prática, amplia a imagem do campo cirúrgico em visão tridimensional e proporciona movimentos articulados, em 360 graus, com precisão de movimentos.

A cirurgia robótica também proporciona melhor ergonomia para o médico, que movimenta os braços mecânicos e as pinças do equipamento remotamente. Nos primeiros procedimentos, ainda há a assistência de cirurgiões com grande experiência no método (chamados de proctors). Além do Hospital de Santa Catarina, recentemente, outros dois hospitais - a Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro (RJ), e o Santa Isabel, em Blumenau (SC) - adquiriram robôs.

Primeira cirurgia robótica, que aconteceu em Campinas, em dezembro de 2018

Em dezembro do ano passado, o Hospital Vera Cruz, de Campinas, se tornou a primeira instituição privada fora das grandes capitais a realizar um cirurgia robótica. A cirurgia foi uma prospatectomia - ou retirada de próstata - e durou cerca de três horas. Foi feita pelo robô Da Vinci, inclusive. Importado dos Estados Unidos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.