Cientistas "turbinam" cérebro de pessoas com eletrodos e inteligência artificial

Cientistas "turbinam" cérebro de pessoas com eletrodos e inteligência artificial

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 04 de Novembro de 2021 às 10h40
Geralt/Pixabay

Um novo estudo da Universidade de Minnesota (EUA) combinou inteligência artificial e estimulação elétrica para aprimorar determinadas funções cerebrais. A análise contou com 12 pacientes, que receberam — cirurgicamente — centenas de minúsculos eletrodos.

Os pesquisadores localizaram uma região do cérebro chamada de cápsula interna, responsável pelo controle cognitivo, ou seja: permitir que a pessoa mude a atenção de uma tarefa para outra. Com isso, a equipe pretende desenvolver um tratamento contra doenças mentais, como a depressão, ajudando pacientes que simplesmente não conseguem se livrar de pensamentos negativos.

Estudo aprimora funções cerebrais usando inteligência artificial (Imagem: Idimair/Envato)

O algoritmo de machine learning ajudou a equipe a isolar as habilidades de controle cognitivo dos pacientes de sua atividade cerebral e de suas ações. “O sistema pode ler a atividade cerebral, decodificar quando um paciente está tendo dificuldade e aplicar uma pequena estimulação elétrica ao cérebro para impulsioná-lo a superar essa dificuldade”, contam os pesquisadores.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Os participantes do ensaio relatam, ainda, que a ansiedade melhorou quando o sistema entrou em ação, principalmente devido ao fato de que tinham mais controle cognitivo, o que proporcionou facilidade em mudar de foco. O estudo está disponível aqui.

Fonte: Futurism

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.