Brasil planeja doar vacinas da covid-19 para outros países

Brasil planeja doar vacinas da covid-19 para outros países

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 20 de Dezembro de 2021 às 18h50
_Tempus_/Envato Elements

O Brasil busca doar vacinas contra a covid-19 para outros países, através da iniciativa COVAX Facility, liderada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O programa busca tornar o acesso aos imunizantes contra o coronavírus mais igualitário e acelerar a imunização global.

O anúncio das doações de vacinas contra a covid-19 foi feito, nesta segunda-feira (20), pelos ministros da Saúde, Marcelo Queiroga, e o interino das Relações Exteriores, embaixador Paulino Franco de Carvalho.

Como devem funcionar as doações de vacinas do Brasil?

Inicialmente, a Saúde planeja doar 10 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para nações de baixa renda. Além dessa doação inicial, outras 20 milhões de vacinas poderão ser doadas, segundo o ministro Queiroga.

Brasil planeja doar milhões de doses da vacina contra a covid-19 para países de baixa renda (Imagem: Reprodução/_Tempus_/Envato)

Para que a doação de imunizantes se concretize, é necessária a manifestação de interesse e anuência de recebimento do imunizante pelos países potencialmente beneficiados. Por enquanto, nem a lista de possíveis nações interessadas, nem a marca das vacinas que poderão ser doadas foram divulgadas.

Com esta iniciativa, "guiados pelo princípio da solidariedade, favoreceremos operações juntos ao mecanismo COVAX, de forma a permitir que as vacinas cheguem aqueles que mais necessitam”, afirmou o ministro Queiroga. Em países de baixa renda, apenas 7,6% das pessoas receberam pelo menos uma dose, segundo dados da plataforma Our World in Data.

Além disso, o ministro explicou que as doações não devem afetar a aplicação das doses de reforço nos brasileiros. “Gostaria de indicar que as doações a serem efetivadas pelo governo brasileiro não comprometerão nossa bem-sucedida estratégia de imunização, incluindo a distribuição de doses de reforços para todos os públicos, para todas as faixas etárias que, eventualmente, forem incluídas em nosso Programa Nacional de Imunizações”, completou.

Fonte: Agência Brasil e Ministério da Saúde 

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.