Robô usa gás e calor para cavar túneis pulverizando rochas

Robô usa gás e calor para cavar túneis pulverizando rochas

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 15 de Dezembro de 2021 às 10h40
Reprodução/Petra

Uma startup dos EUA desenvolveu um método inovador que consegue perfurar rochas extremamente duras sem tocá-las. O sistema da companhia chamada Petra utiliza gás superaquecido a quase 1.000 °C para cavar túneis, pulverizando e triturando as pedras em pequenos pedaços para facilitar a sua remoção.

Em vez de esmagar as rochas com trituradores enormes — como ocorre em sistemas convencionais de perfuração de grande porte — a empresa usa um robô que praticamente derrete as rochas, transformando o material geológico em poeira, o que seria impossível de realizar com máquinas de tunelamento comuns.

“Nem sempre foi fácil. Durante os primeiros testes, usamos um sistema de superaquecimento com aproximadamente 5.000 °C e acabamos derretendo grande parte da rocha, transformando-a em lava, o que não funcionava quando se pretende construir um túnel”, explica a CEO da Petra Kim Abrams.

Cortar sem tocar

O robô de tunelamento semiautônomo usa um método de perfuração térmica sem contato que minimiza o rompimento da superfície. Esse sistema consegue promover uma escavação mais eficiente e segura, evitando desmoronamentos que podem ocorrer durante a remoção de pedaços maiores de rocha.

Robô transforma rocha em poeira sem tocá-la (Imagem: Reprodução/Petra)

Esse mecanismo é alimentado por um algoritmo de visão computacional, permitindo que o robô escave microtúneis através de diferentes tipos de camadas geológicas de maneira mais rápida do que os métodos tradicionais de perfuração. Essa abordagem garante o esfacelamento das rochas, independente de sua composição e dureza.

“Ao fornecer uma solução viável, que permite a pulverização de pedras em tempo real, podemos proteger as comunidades ao garantir a segurança de toda a infraestrutura em áreas sujeitas a desastres, especialmente em lugares montanhosos e regiões costeiras”, acrescenta Abrams.

Pulverizador de rochas

Sensores presos a pequenas hastes calculam a quantidade exata de gás e calor necessária durante o processo de abrasão da rocha para que não haja desperdício de energia. Segundo empresa criadora do sistema, essa técnica poderia ser usada, por exemplo, para reduzir os custos de enterramento da rede elétrica em até 80%.

Sistema compacto promete reduzir os custos de escavação (Imagem: Reprodução/Petra)

Normalmente, esse processo é realizado com lâminas gigantes para cortar asfalto e concreto, ou com cabeças de perfuração que usam uma mistura de produtos químicos e abrasivos para escavar túneis tão grandes para passar uma rodovia, ou pequenos o suficiente para abrigar cabos de eletricidade ou redes de comunicação.

“Nosso robô oferece uma série de novas vantagens sobre os métodos convencionais de microtúnel. As máquinas atuais são construídas especificamente para um único diâmetro, enquanto a nossa é a primeira capaz de perfurar uma gama de diâmetros que variam entre 20 e 60 polegadas, o que reduz drasticamente o custo de tunelamento”, encerra Kim Abrams.

Fonte: Wired

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.