Facebook expande bases de pesquisa em IA pelo mundo

Por Carlos Dias Ferreira | 18 de Julho de 2018 às 14h39
TUDO SOBRE

Facebook

O Facebook efetuou recentemente novas expansões às suas já respeitáveis instalações dedicadas à inteligência artificial pelo mundo. Além de novos escritórios, também houve contratações de diversos profissionais, cujo objetivo deve ser o de acelerar pesquisas voltadas à robótica atualmente em curso no Facebook AI Research.

“Projetos de robótica têm sido desenvolvidos em várias das nossas instalações: em Menlo Park; em Montreal; há também o trabalho bastante ativo de Joelle Pineau em Pittsburgh [Pensilvânia, EUA]; há algo em desenvolvimento também em Nova York, além de Paris e Seattle [Washington, EUA]”, disse o diretor da AI Research, Yann LeCun, em entrevista ao site Venturebeat.

Uma corrida por cérebros

Segundo LeCun, as pesquisas em robótica têm se expandido por vários motivos, incluindo o fato de que a área é escolhida por diversos dos pesquisadores mais talentosos. Dessa forma, o movimento da Facebook também está relacionado a uma maneira de garantir que esses cientistas não acabem escapulindo para outras empresas ou instituições.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

“Há diversos problemas surgindo na robótica que realmente não aparecem em outros domínios e que forçam as pessoas a confrontarem problemas reais, como os que nós temos enfrentado em inteligência artificial”, disse o executivo ao referido site. “Esse é o interesse primário dele em aplicações, então, se nós não trabalharmos com a robótica, estaremos basicamente excluindo o acesso a pesquisadores talentosos interessados em atuar nessa área.”

“Precisamos antecipar tendências”

Entretanto, LeCun garante o foco não é apenas acadêmico. De fato, as pesquisas vêm sendo conduzidas também em razão da presença cada vez maior de robôs no cotidiano das pessoas, tanto em âmbitos sociais – como lares e espaços de trabalho – como industriais. Neste, de fato, se incluem os vários autômatos atualmente em uso pela própria Facebook.

“Nosso papel, como um laboratório de pesquisas, é o de antecipar tendências e mudanças na tecnologia, e está bastante claro que a robótica está em ascensão”, disse ele. “Haverá um progresso bastante rápido ao longo dos próprios anos, e os robôs devem se tornar ainda mais presentes do que são hoje.”

Com o potencial para “transformar a sociedade” encerrado nessa linha de pesquisas, cabe ao Facebook, portanto, garantir sua parcela de conhecimento, até para “poder conectar as pessoas”. Entre as novas contratações da companhia há especialistas de diversas universidades da América e da Europa – cujas linhas de pesquisa vão da robótica à linguagem, passando também por animações e visão computacional. Cada um dos contratados deve manter o vínculo com suas universidades de origem.

Fonte: Venturebeat

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.