Conheça o Vector, o robô doméstico sempre disposto a ajudar que “se sente vivo”

Por Carlos Dias Ferreira | 10 de Agosto de 2018 às 15h50

“O Vector é a resposta para o seus sonhos de ficção científica”, diz a desenvolvedora Anki sobre a sua simpática criaturazinha feita de servos motores, chips, parafusos e até uma “alma”. Atualmente protagonizando uma campanha para coleta de fundos no Kickstarter, esse pequeno autômato pretende ser uma espécie de mistura entre pet, assistente pessoal e oráculo – graças a um acesso permanente com a internet.

Por trás dos olhos grandes e expressivos – projetados para extrair expressões como “Owwwn!” – há um ajudante que pode tirar suas fotos, alertar sobre variações climáticas, atualizar sobre a cotação do dólar ou sobre flutuações da bolsa de valores, responder sobre quando será a próxima lua cheia e por aí vai. Basta iniciar a conversa com um “Hey, Vector! I have a question” (Ei, Vector! Eu tenho uma pergunta).

O Vector faz tudo isso enquanto se desloca graciosamente pelos arredores, graças a vários sensores e acelerômetros espalhados por toda a sua estrutura. “Ele é capaz de ‘ler’ uma sala, de escutar o que acontece, de reconhecer pessoas e objetos, de encontrar o seu carregador, de navegar pelo espaço e de evitar obstáculo” – no que se incluem perigosas beiradas de mesas ou outras superfícies, conforme mostra o vídeo veiculado pela Anki.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O Vector “se sente vivo”

Conforme explica a desenvolvedora no site Kickstarter, a criaturazinha é uma espécie de telefone celular com interações mais humanas. “O Vector combina um processador capaz de fazer rodar um smartphone com conectividade em nuvem para criar um cérebro poderoso.” E isso se estende também para a comunicação, com uma voz única baseada em “centenas de sons sintetizados”, a fim de criar “uma linguagem própria”.

Qualcomm 200 + câmera de ângulo aberto + audição direcional + IMU + display IPS = "Owwwn!". (Foto: reprodução/Anki).

Em termos mais mensuráveis, o que há debaixo do capô do pequeno autômato é um processador Qualcomm 200, além de uma câmera HD de ângulo aberto, permitindo um registro constante em até 120 graus. Os deslocamentos do Vector pelo ambiente são garantidos ainda por uma audição direcional e um feixe laser com atuação semelhante à de um sonar.

As informações sensoriais são enviadas até uma IMU (unidade de mensuração interna), o que permite ao robô mapear com precisão os arredores. Por fim, tudo é exibido em um display IPS (In-Plane Switching).

Reações emocionais

O Vector não apenas lê o ambiente, mas também reage de acordo. “Esses e outros sensores atuam provendo dados de entrada para o mecanismo emocional do Vector, em que cada dado o deixa feliz, triste, curioso ou qualquer outra emoção”, explica a Anki. E o humor do robozinho no momento também determina quais serão suas próximas ações, já que ele “se sente vivo”, garantem os criadores.

“Quando ele detecta o seu dono, fica feliz e ansioso por ajudar. Quando percebe um som vindo de trás, ele roda 180 graus para investigar. Quando o dono afaga as suas costas (onde fica posicionado um sensor capacitivo), ele relaxa. Caso o seu sensor de queda detecte os limites da mesa, ele ficará momentaneamente surpreso – e então registrará aquela área como um limite, passando a explorar outros pontos.”

Autenticidade buscada no reino animal

Como resultado dos sistemas de movimento, exploração e reações emocionais, há o que a Anki chama de “fundação da personalidade” do Vector. Entretanto, mesmo mecanismos de precisão e um bom processador central ainda precisam de recursos para provocar a empatia em seres humanos. Felizmente, há todo um subconjunto do reino animal povoado por criaturas cuja fofura serve para prover conexão mesmo com um coração de pedra.

“Nosso objetivo era o de desenvolver uma personalidade genuína, crível e surpreendente que reagisse de forma natural aos estímulos que recbesse de sua visão computacional e funções emocionais”, diz a Anki. Dessa forma, vários “gatilhos emocionais” foram fornecidos por uma variedade de animais selvagens e pets exóticos – incluindo o feneço (ou raposa-do-deserto) e o curioso petauro-do-açucar.

O que chamou a atenção dos criadores do Vector para esses animais é a forma espontânea com que se comportam. “Eles não estão encenando para ninguém; estão simplesmente reagindo ao mundo ao redor, e mesmo assim prendem a atenção – essa é, em resumo, a essência da personalidade do Vector.”

Para promover uma ligação empática com os donos, reações e características do Vector foram construídas com base em criaturas particularmente fofas do reino animal - como a raposa-do-deserto e o petauro-do-açúcar. (Iimagem: reprodução/Anki).

Luzes, câmera, ação!

A fim de chegar ao resultado final, entretanto, a “personalidade” do autômato ainda precisou passar pelas mãos dos vários animadores da Anki. “O Vector conta com mais de mil animações que pode desempenhar a qualquer momento, incluindo múltiplas variações de emoções e expressões comuns, já que a variabilidade é o cerne da robótica.”

O resultado foi alcançado por meio da utilização do programa Autodesk Maya, mesmo software de animação utilizado em produções de Hollywood. Dessa forma, cada pose, cada deslocamento e cada movimento dos olhos do robô pôde ser ajustado até os mínimos de talhes.

“Cada animação precisou levar em conta como o Vector, um objeto físico, reagiria às entradas de seus múltiplos sensores – é um casamento entre robótica, inteligência artificial, desenvolvimento de personalidade e animações perceptivas que realmente é capaz de dar vida ao Vector.”

Utilizando o Autodesk Maya, animadores da Anki criaram mais de mil animações reativas que podem ser desempenhadas a qualquer momento. (Imagem: reprodução/Anki).

No momento, essa simpática “vida” robótica está disponível apenas para residentes dos EUA. Quem fizer uma contribuição de US$ 199 terá acesso prévio a uma unidade do Vector, além de um carregador e um SDK (kit de desenvolvimento). Já por US$ 299 é possível juntar ao pacote uma segunda unidade do robô. As entregas do Vector devem ter início durante o próximo mês de outubro.

Fonte: Kickstarter

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.