Oi leva prejuízo de R$ 1,55 bilhão no segundo trimestre do ano

Por Nathan Vieira | 15 de Agosto de 2019 às 21h50
Divulgação
Tudo sobre

Oi

Saiba tudo sobre Oi

Ver mais

Várias empresas estão divulgando seus resultados financeiros do segundo trimestre do ano de 2019 nesta semana. E nesta quinta-feira (15), foi a concessionária de serviços de telecomunicações Oi que reportou o resultado operacional referente ao período em questão. Basicamente, as coisas não andam bem para o lado da empresa, já que os números estão no negativo.

O prejuízo do período foi de simplesmente R$ 1,55 bilhão, 24% maior do que o mesmo período de 2018. Além disso, ainda em comparação com o segundo trimestre em 2018, a receita líquida da empresa caiu 8,2%, para R$ 5 bilhões, enquanto a dívida líquida cresceu: R$ 12, 573 bilhões. Isso equivale a uma quantia 26,6% maior do que esse período em 2018. Quando o assunto é o semestre, a empresa fecha com receita líquida de R$ 10,22 bilhões, o que a leva a um prejuízo de R$ 991 milhões e caixa disponível de R$ 4,296 bilhões (menos 17,4% comparado com o que foi 2018).

As coisas não estão nada boas para o lado financeiro da Oi

Para não dizer que não falamos das flores, no segundo trimestre deste ano, a Oi se concentrou em investir na abordagem de reuso de suas fibras. Assim, no período final do trimestre, as fibras alcançaram 2,5 milhões de casas, e cerca de 800 mil Homes Passed foram construídas neste período. No fim do segundo trimestre de 2019, a fibra já estava presente em 59 municípios. Em julho já havia 2,9 milhões de HPs e 290 mil casas conectadas, avançando para 10,2% de taxa de ocupação. Além disso, com a estratégia de aceleração da venda de FTTH, a Oi segue comercializando também o IPTV na fibra. Ainda em relação às fibras, o objetivo da empresa é alcançar 4,6 milhões de casas até o final do ano, com 16 milhões no final de 2021.

A Oi também reportou a adição líquida dos celulares pós-pagos, quando conquistou 33% de market share do pós-pago no período, crescimento de 11,5% das receitas do pós-pago e 27% de crescimento de receitas do TI corporativo.

Fonte: Tele síntese

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.