Nubank registra prejuízo menor no 1º semestre de 2020 e dobra base de clientes

Por Rui Maciel | 26 de Agosto de 2020 às 11h45
Reprodução
Tudo sobre

Nubank

Saiba tudo sobre Nubank

Ver mais

O Nubank registrou um prejuízo de R$ 95 milhões no primeiro semestre de 2020. No entanto, as perdas são 32% menores se comparadas ao mesmo período do ano passado. Além disso, a fintech mais do que dobrou a sua base de clientes, saltando de 11 milhões para 26 milhões, com uma média de 41 mil novos correntistas diários. E o seu volume de transações aumentou em 54% em comparação a 2019.

As receitas de intermediação financeira também obtiveram bons resultados, crescendo 104% e totalizando R$ 2,079 bilhões. Além disso, a empresa ressalta que tem R$ 19,9 bilhões em caixa (um aumento de 48% em relação a dezembro de 2019), além de ter elevado provisões para devedores duvidosos para os primeiros seis meses deste ano, um movimento natural dado os efeitos econômicos causados pelo coronavírus. Ainda assim, a taxa de inadimplência foi considerada baixa pela empresa: 5,8% - de acordo com o Banco Central, esse percentual, com mais de 90 dias de atraso, ficou em 7,5% em junho de 2020.

NuConta: Nubank mais do que dobrou sua base de clientes (Imagem: divulgação)

Os anúncios foram feitos no blog oficial da fintech, em um post escrito por Marcelo Kopel, diretor financeiro da instituição. No texto, ele afirma que o "o prejuízo é uma decisão e, por isso, esperado como parte da estratégia de crescimento no momento". Ainda segundo o executivo:,

Escolhemos investir na empresa, nas pessoas e no desenvolvimento de novas tecnologias para continuar entregando a melhor experiência aos nossos clientes. Este modelo é bastante conhecido e usado por empresas de tecnologia.

Em resumo, as receitas operacionais continuam aumentando em um ritmo mais acelerado que as despesas e a nossa geração de caixa operacional se mantém sólida e em trajetória de alta. Isso permite que a gente continue com nossa estratégia de crescimento – com nível de capitalização compatível com o desenvolvimento do nosso negócio.

Para completar, o post da empresa afirma ainda que conta com 12% a mais de funcionários do que em dezembro de 2019, totalizando 2.720 colaboradores no final de junho.

Escritório do Nubank em São Paulo: 12% a mais de funcionários do que em dezembro de 2019 (Foto: divulgação)

R$ 312 milhões

Os números apresentados pelo Nubank no primeiro semestre de 2020 são um indicativo de resultados melhores para este ano, se comparado a 2019. Nesse período, a fintech registrou um prejuízo de R$ 312 milhões, um aumento de 212% em relação a 2018.

De acordo com a fintech, o aumento de gastos está entre as principais razões para os números negativos do ano passado. As despesas com intermediação financeira avançaram 36,7% (R$ 84,1 milhões); já os gastos com pessoal aumentaram em 88%, saltando para R$ 340,32 milhões.

Em seu relatório (divulgado pela Nu Pagamentos S.A), o Nubank afirma que "o aumento nas despesas financeiras deve-se principalmente a provisão para aumento de crédito de liquidação duvidosa, que aumentou 53%, enquanto os saldos de valores a receber para o [produto] cartão de crédito no ativo aumentaram 76%". Para cobrir esse rombo, a fintech fez uma provisão de crédito de R$ 747 milhões (contra R$ 486,9 milhões em 2018).

As despesas operacionais do banco também dispararam: de R$ 237,5 milhões em 2018 para R$ 652,3 milhões no ano passado, um aumento de 174,6%. Outras despesas administrativas também cresceram para R$ 1,03 bilhão, um aumento de 202,4%.

Com tais gastos, o resultado operacional do Nubank em 2019 - que envolve diretamente os negócios da fintech - registrou um prejuízo de R$ 443,5 milhões, perdas 285,3% maiores se comparadas a 2018.

Fonte: Nubank  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.