YouTube | Seção "Em alta" dedicará metade do seu feed aos youtubers

Por Se Hyeon Oh | 01 de Maio de 2019 às 22h20
Divulgação
Tudo sobre

YouTube

Saiba tudo sobre YouTube

Ver mais

Nesta terça (30), a CEO do YouTube, Susan Wojcicki, revelou informações sobre as metas da plataforma de streaming de vídeo para 2019 e, de acordo com ela, um dos focos está em realizar um desenvolvimento para apoiar os criadores de conteúdo, garantindo que metade dos vídeos na guia "Em alta" sejam proveniente dos youtubers.

Essa afirmação da Wojcicki parece estar relacionado com as críticas que o YouTube vinha recebendo de que os vídeos dessa aba não pareciam refletir o que as pessoas estão assistindo na plataforma, pois mostrava os mesmos canais e criadores de conteúdo repetidamente. Assim como o próprio nome sugere, essa área do site deveria estar dedicado aos vídeos que pudessem ser de interesse para uma ampla faixa de espectadores.

A CEO diz que “Em alta” significaria mostrar conteúdos que acumulam grande quantidade de visualizações de forma rápida e que uma ampla gama de espectadores achariam interessantes. Por isso, ela diz que a empresa tem tido um cuidado especial com a segurança desses vídeos e que trabalha para “garantir que eles não contenham conteúdo obsceno ou maduro”.

Para oferecer um apoio maior aos youtubers, a Wojcicki diz que pelo menos metade dos vídeos da seção será dedicado aos canais deles, enquanto as músicas e a mídia tradicional preencheria o restante do feed. Essa mudança, segundo a própria, ocorrerá "daqui para frente". Em adição, foi dito também que a empresa pretende garantir uma grande diversidade de conteúdos e de canais, além de continuar colocando em destaque os usuários com grande ascensão.

Outra informação confirmada está no fato do YouTube estar trabalhando para alterar a forma como o sistema de reivindicação manual reconhece o "conteúdo muito curto ou conteúdo incidental". Vale lembrar que o sistema permite pesquisar vídeos do YouTube para encontrar aqueles que incluam um conteúdo do próprio usuário, de forma que ele pode reivindicar o conteúdo.

Pelo visto, a plataforma de vídeos já estava analisando essa questão, mas a Wojcicki afirma que ouvir essa informação diretamente dos criadores foi vital. Além disso, ela diz também que está “explorando melhorias para alcançar o equilíbrio certo entre proprietários e criadores de direitos autorais".

Fonte: 9to5google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.