YouTube adiciona dois recursos para aumentar transparência da plataforma

Por Natalie Rosa | 26 de Novembro de 2019 às 15h30
Reprodução
Tudo sobre

YouTube

Saiba tudo sobre YouTube

Ver mais

Nesta terça-feira (26), o YouTube publicou um novo artigo sobre as suas políticas de transparência e contexto para o Brasil. A empresa diz que vem investindo para levar aos usuários uma melhor experiência de notícias na plataforma, garantindo que as informações sejam originadas de fontes confiáveis.

Aqui no Brasil, o YouTube criou as prateleiras Notícias Principais e Últimas Notícias, que têm o objetivo de fornecer dados de fontes confiáveis na própria página inicial. Agora, a companhia explica que dois novos recursos foram adicionados, sendo um que mostra dados verificados por parceiros qualificados e outro que exibe detalhes sobre o financiamento de criadores.

"Hoje, mostramos painéis de informações sobre tópicos propensos a teorias da conspiração em andamento. Mas reconhecemos que algumas histórias nas notícias podem rapidamente se tornar alvo de desinformação e queremos oferecer contexto sobre esses tópicos também", explica a empresa.

O papel dos painéis de verificação de fatos é fornecer ao usuário contexto em relação aos tópicos de interesse, e as checagens de fatos dependem do processo de marcação de código aberto Schema.org ClaimReview, como explica a empresa. Seguindo esse processo, qualquer editor que seja qualificado pode contribuir com artigos de verificação de fatos que podem aparecer como resultado de buscas dos produtos Google.

Imagem: Reprodução/YouTube

Inicialmente, os parceiros da medida são o Estadão Verifica, Boatos.org, Aos Fatos, Agência Lupa, UOL Confere, AFP Checamos e Projeto Comprova. A companhia tem interesse em aumentar esse ecossistema de parceiros, por sinal.

Em relação aos painéis informativos referentes à origem de financiamento, esses dados aparecem quando um canal é de propriedade de uma empresa jornalística e que recebe recursos provenientes do governo ou de algum órgão público. "Ele indica que o editor é 'financiado por completo ou em parte' por um governo, ou é um 'serviço público de transmissão', com um link para a página da Wikipédia do editor", explica o YouTube.

Sendo assim, o objetivo da plataforma é que os usuários tenham acesso uma maior quantidade de informações úteis, entendendo melhor as fontes de conteúdos noticiosos que eles escolhem assistir na plataforma. "Estamos comprometidos com nossa responsabilidade de proteger a comunidade do YouTube e este é um dos muitos passos que daremos para continuar esse importante trabalho", completa a empresa.

Fonte: Blog Google Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.