Twitter dará prêmio a quem encontrar problemas no seu algoritmo de imagens

Twitter dará prêmio a quem encontrar problemas no seu algoritmo de imagens

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 02 de Agosto de 2021 às 11h50
Brett Jordan/Unsplash

Em maio deste ano, o Twitter constatou que o algoritmo que utiliza para recortar a pré-visualização de imagens do feed era, de fato, racista. O “algoritmo de saliência”, implementado em 2018 para exibir fotos parciais era o grande culpado do problema, normalmente identificando e priorizando rostos de pessoas brancas em detrimento de pessoas negras na mesma imagem.

A plataforma decidiu mudar o modelo de exibição de imagem para mostrar mais elementos ao mesmo tempo, porém, ela não quer se deparar com esse tipo de problema de novo. Para isso, o Twitter abriu um programa de recompensas para encontrar casos de discriminação ainda não descobertos em seu algoritmo.

“Queremos dar um passo à frente, convidando e incentivando a comunidade a ajudar a identificar danos em potencial deste algoritmo além do que nós identificamos”, explicou o Twitter no anúncio.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A análise visual da imagem tenta identificar qual o ponto mais importante daquele registro e, normalmente, priorizava pessoas brancas (Imagem: Reprodução/Twitter)

Para isso, a plataforma compartilhará novamente o código do "algoritmo de saliência" para os usuários interessados no programa para que façam suas avaliações. Quanto mais erros forem encontrados ou melhor for qualidade de avaliação, maior será o prêmio.

Twitter não seria capaz de "resolver isso sozinho"

De acordo com o diretor de ética e transparência de aprendizado de máquina do Twitter, Rumman Chowdhury, a plataforma “acredita que as pessoas deveriam ser recompensadas ao identificar esses erros” e que eles não são capazes de "resolver esses desafios sozinhos”.

Este seria o primeiro programa de recompensas focado na busca por tendências prejudiciais em códigos, segundo a empresa. Para os participantes, os prêmios começam em US$ 500 e vão até US$ 3,5 mil.

Interessados na participação devem ingressar no site oficial do concurso no HackerOne, criar uma conta na plataforma e seguir com as indicações de inscrição. O envio de relatos deve ser feito até o dia 6 de agosto deste ano.

Fonte: Twhttps://hackerone.com/twitter-algorithmic-biasitter

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.