TikTok é acusado de enviar dados de usuários para a China

Por Nathan Vieira | 04 de Dezembro de 2019 às 09h15

Você provavelmente já conhece o TikTok, uma plataforma de vídeos curtos, de até 15 segundos. A rede social tem atraído inúmeras polêmicas, e uma das mais recentes foi a remoção de um vídeo que criticava o tratamento chinês para com os muçulmanos. No entanto, na terça-feira (3), outra polêmica envolveu o aplicativo, pois ele foi acusado de transferir dados privados de usuários para servidores na China, de acordo com uma ação coletiva proposta no tribunal federal da Califórnia.

O processo também acusa a empresa chinesa ByteDance de guardar conteúdo do usuário, como sem o seu consentimento. Por sua vez, a ByteDance, empresa dona do TikTok, afirma que não armazena dados pessoais em seu país de origem. Isso gera preocupações de que os dados coletados pelo TikTok possam ser usados ​​para identificar e rastrear usuários nos EUA, e a empresa está se beneficiando dessa suposta atividade porque usa esses dados para vender anúncios direcionados.

As alegações contra o popular aplicativo de vídeo são o exemplo mais recente das crescentes preocupações de segurança em torno do TikTok, que ultrapassou 1,5 bilhão de downloads em todo o mundo em novembro. O governo dos EUA também está investigando o aplicativo em busca de possíveis riscos à segurança. 

TikTok é acusado de coletar dados de seus usuários e enviar secretmente para servidores da China

De acordo com a acusação, os vídeos do TikTok geralmente incluem close do rosto das pessoas, permitindo que a empresa colete dados biométricos de seus usuários, e os vídeos são transferidos para vários domínios antes mesmo que os usuários salvem ou publiquem no aplicativo. Esses dados coletados e supostamente enviados a servidores chineses incluiriam contatos telefônicos e de redes sociais, endereços de e-mail, endereço IP, local e outras informações. A empresa supostamente usa táticas diferentes para ocultar a transferência de dados do usuário, e mesmo quando o app é fechado, ainda colhe dados biométricos.

Fonte: CNet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.