TikTok aumenta fiscalização e exclui cada vez mais vídeos com discurso de ódio

Por Felipe Ribeiro | 21 de Agosto de 2020 às 10h59
konkarampelas/Pixabay
Tudo sobre

TikTok

Saiba tudo sobre TikTok

Ver mais

O combate às postagens tóxicas na internet é um tema constantemente abordado na comunidade tecnológica, presente diuturnamente na vida de empresas como Facebook, Twittere Google. Uma delas, porém, costuma estar meio "de fora" dessa lista: o TikTok. Bem, costumava estar... A rede social de vídeos curtos ganha milhares de usuários a cada minuto e, com eles, vêm os problemas e vídeos indesejáveis, com incitações de ódio e agressões verbais. Isso, porém, está sendo combatido pelo app.

Desde o início do ano, a empresa garante ter retirado do ar mais de 380 mil vídeos e 64 mil comentários somente nos Estados Unidos por quebrar as regras de discurso de ódio. O TikTok também baniu mais de 1.300 usuários como parte da política. Essa é a primeira vez que a companhia compartilha esses dados desde quando atualizou suas políticas de uso em janeiro.

“Embora esses números possam não refletir uma taxa de sucesso de 100% na detecção de cada conteúdo ou comportamento odioso, eles refletem nosso compromisso com a ação e com a construção de uma comunidade que seja mais positiva e acolhedora do que em outros aplicativos”, disse Eric Han, chefe de segurança da TikTok, em uma postagem no blog da empresa.

Treinamento e transparência

Han também observou que o TikTok tomou medidas para impedir que postagens tóxicas apareçam nos resultados de pesquisa do aplicativo, e ressaltou que a empresa treina as equipes de moderação para entender melhor conteúdos problemáticos como apropriação cultural e calúnias. Além disso, a empresa formou um Conselho Consultivo de Conteúdo no início deste ano e planeja abrir um “centro de transparência” que tornará suas políticas de seguranças e moderação mais transparentes para analistas externos.

É bom lembrar que o TikTok está sob a constante mira do governo norte-americano, que acusa a empresa de ter laços com o governo chinês, além, é claro, de ser duramente criticada por suas políticas de moderação, consideradas brandas por especialistas.

O Canaltech entrou em contato com a assessoria de imprensa do TikTok no Brasil para obter números de remoções realizadas em território brasileiro e esta notícia será atualizada assim que houver uma resposta oficial da companhia.

Fonte: TikTok  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.